sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Manutenção e conservação da bike com finalidade ecológica

Alguns componentes parecem menos importantes que outros, mas na verdade qualquer material tem tanta importância quanto um câmbio traseiro. Uma bicicleta é feita de um conjunto, e a ausência de qualquer dos itens transforma a bike em um veículo ineficiente ou incompleto. Pode este componente permitir que a bike se desloque sem grandes problemas, como pode a bike parar sem qualquer chance de trafegar. Uma caixa de direção ruidosa, não impede que o ciclista chegue ao destino, mas reduz muito o prazer de pedalar... em casos mais graves, cuja a caixa de direção se apresenta "trancando", pode acarretar num belo tombo. Nesta questão de segurança, qualquer item, seja simples ou não... é importante, e economizar pode ser o mesmo que perder um passeio. As vezes fico avaliando alguns extras, peças que parecem ser mais enfeitadas do que exatamente boas, mas esta crítica e capacidade de avaliar pode estar relacionada ao bom e ao mau biker. Bom e mau no sentido da compreensão e entendimento no assunto, não em caráter... interprete o contexto do assunto. A diferença de um bom biker não esta no bolso, pois ele pode ter uma bike extremamente simples aos olhos de um comércio e de outros colegas, mas a prova de que ele fez boas escolhas esta no número de vezes em que ficou na mão. É comum ver bikers empenhados com bicicletas de renome, como trek, scott, gt, cannondale, etc... Geralmente as grandes marcas estão prontas ao sair da loja e enfrentar grandes distâncias sem qualquer impecílio, mas após uma série de manutenções necessárias e mau executadas, transformam-se em lixos ciclisticos. Isto me lembra uma situação onde comprei uma trek 4000, onde não havia outra maneira de recuperar a bike. Troquei tudo... não deu pra aproveitar nada! Salvei a bicicleta da extinção e dei nova vida a ela. Vendi esta bicicleta, e hoje seu proprietário é um biker feliz. Comprei relativamente barato, mas gastei tanto para ressucitar a bici, que praticamente a vendi pelo valor que me custou. Alguns pensariam que eu seria um tipo de louco... até com vocação para trouxa, mas gosto tanto de bicicletas, que até a restauração me deixa feliz. Não gosto de fazer com pressa, gosto de curtir, refletir... ver aonde vai acabar. Se não fica bom, volto, refaço o caminho, tento chegar próximo do desejado. É surpreendente o que as pessoas fazem com os carros, mas é mais notável ainda como sabem destruir bicicletas... não com o uso exatamente, mas com o descaso, escolha ruim de peças, a legítima falta de consideração com algo que só traz felicidade. Para conservar bem a bike é necessário refletir antes de trocar alguma peça, pois existem motivos de sobra para que uma bicicleta venha com uma certa composição de peças. O fabricante nem sempre é apenas um "desvairado" que visa lucro, ele também objetiva a satisfação do comprador. É o caso clássico as marcas citadas antes, que mesmo com composição simples nos modelos de largada, usam componentes e peças de qualidade e durabilidade satisfatórias. É difícil de compreender um motivo para não dar manutenção na bike, pq se ela parar, você volta para o ônibus ou para o carro. O km rodado em uma bicicleta é tão barato, que talvez seja mais barato do que contabilizar o consumo do solado do tênis gasto se você percorrer a mesma distância a pé. Reflita! Bicicleta é meio de transporte, meio de lazer, meio de vida... vida saudável, vida colorida, opção de desprendimento, onde o biker contribui para um planeta mais bonito e limpo. Uma bicicleta muito danificada é a garantia de retrocesso e sustentação de um sistema que esta nos arruinando. Mantenha, cuide de sua bike! Nós precisamos dela por estes motivos que descrevi. Se você lubrifica as peças com certa frequência, há uma chance muito grande de que estas peças durem pelo menos 30% mais. Estes 30% representam uma economia no seu bolso, e menos poluição! Não pense que uma peça polui somente quando vai ao lixo... esta peça que você tem na bike, e vai jogar fora, precisou de um processo industrial bastante poluente, como todo industrializado, especialmente compostos poliméricos. Poluimos a água usada no processo de fabricação, no processo de obtenção do material, no transporte... em tudo que se fez para chegar ao processo final. Cuide da sua bike!

Texto e foto: Roberto Furtado