quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Sentimentos em todos os tempos - fora da proposta biker!

Antes de mais nada, peço desculpas... desculpas por postar este aqui, pq talvez ele não seja exatamente o foco do blog, pq talvez não corresponda com as espectativas dos seguidores, anônimos ou não. Explico isto pq o blog, como toda intenção particular e pessoal, sempre tendencia para o lado que o seu colaborador quer. Um pouco injusto, pq as vezes, fica o leitor a espera de algo específico como é este blog, e pode simplesmente chatear-se com o conteúdo diferente. Como acordei muito cedo hoje, e como não estou inspirado suficientemente para uma abordagem específica, resolvi copiar e colar um material que estava em um outro blog que tive, e que hoje não esta disponível a leitura. Neste "texto" citei o vento... aquele mesmo vento que toca o rosto do ciclista, que faz valorizar um Audax, uma superação, valorizar a vida! Após desculpas e esclarecimentos, espero que um pouco agrade. O espaço para comentários esta disponível, inclusive para críticas. Segue então... da série: "Ciclista também é sensível!" rsrsrsrsrsrsrs

Um abraço

Roberto Furtado

Sentimentos em todos os tempos

Tempo de amar, tempo de sorrir, de chorar, viver e morrer. Viver é morrer, conhecer e aceitar. A vida é a chance que o tempo sem graça fez pra ti ver feliz, pra simplesmente se alegrar ao observar. Somos explosão de sentimentos, do beijo dado a quem amamos, a último aperto de mão e enfraquecimento de lembranças daqueles que nunca mais "vimos". A vida é cor, mas a cor precisa do teu olhar para viver... viver é essencial a cor, pois ela existe para ser apreciada. O acaso nos fez para apreciá-la, pq não sei como precisar a ordem... qual intenção nasceu primeiro? Quando for tempo de chorar, chore, em tempo de sorrir, sorria... tudo necessário, importante como um ecossistema. Somos pedacinho de um e outro, amamos e sentimos por uns e outros, interagimos em reação a ações que pensamos inexistir. A vida é confusa, é sim, tão confusa quanto isto que escrevo, mas vida é um oceano de empolgação e de sentimentos. Saborear o colorido do verde de uma folha jovem contrastado com o céu de intenso azul, é como beijar, como apreciar o doce sabor de uma maça. Sinta o sabor, a cor, o vento... o vento é o fenômeno climático mais bonito que já senti. Vento é carícia sobre a pele do rosto. Carinho que a natureza criou pra afagar seus filhos...

Roberto Furtado