quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Considerações próprias sobre conforto e contagem regressiva para o Audax 200 KM POA 18.10.2009

Nesta quarta feira a noite, estive no tradicional passeio noturno... saímos por volta das 20 horas, se tanto, e nos dirigimos ao posto de gasolina que fica ao fim da Assis Brasil. Não foi um treino, mas até houveram momentos de pedaladas sem interrupções. Devido a pequena quantidade de pessoas (acharam que ia chover, né?), o ritmo esteve bom. Ontem decidi que se eu fizer a prova com a GT Corrado, então não vou trocar os pneus. Estou usando os pneus 26 x 1.95 kenda kontact, possuem um perfil bastante urbano, mas aceitam bem buracos. Optei por pneus maiores pq não estou usando suspensão, e o conforto dos braços depende muito destas vibrações dissipadas no guidão. O pneu toca o solo, e copia a irregularidade... enviando para o aro, raios e cubo as alterações e solavancos recebidos. Do cubo vai-se diretamente ao garfo através do eixo, e a pobre caixa de direção transmite uma parte para o quadro, e o restante para a espiga. Da espiga distribui-se direto para o guidão, através da mesa. Entre a espiga e o guidão, praticamente não há alívio, pois a mesa deve ser muito forte, geralmente é curta e em aluminio, sendo mais transmissora dos impactos do que absorvedora dos mesmos. Então nota-se a importância de componentes que podem ser escolhidos... tais como um pneu, um bom garfo ou suspensão (e espiga), e um guidão flexível (aço e suas ligas, ou carbono). Eu fujo muito ainda de certos materiais... certas vantagens podem se traduzir em catástrofes, por isto prefiro me manter em aço e Cr-Mo. O garfo de Cr-Mo flexionou muito bem até onde pude observar, e o guidão também absorveu impactos, mas o pneu foi a grande estrela... ele evitava muitos dos impactos a roda, o que me fez pensar que é a melhor alternativa quando pensamos em conforto e preservação do restante do bike. Agora é quase certo de que eu esteja no Audax 200 km com a GT Corrado, praticamente abandonei a possibilidade de fazer com speed... que era carta na manga para meu despreparo físico.
A contagem regressiva para o Audax parece ter apertado... o relógio já esta andando mais rápido, sensação que temos quando estamos mais próximos do esperado momento. Acho que agora é usar a bike, experimentar e reparar qualquer defeito, sem alterar nada... pois já não há muito tempo para experiências, o dia "D" é logo ali.

Roberto Furtado