segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Mais fôlego na sua relação...

Shimano FC-M440 26-36-48T

Uma bike com relação urbana tem suas vantagens. Um pedevela cuja menor coroa é de 22 dentes, garante uma ótima combinação para subidas íngrimes, mesmo quando é necessário arrancar na subida. O problema é que geralmente as demais coroas são combinadas e padronizadas, citando o exemplo de 22, 32, 42 dentes. Com 42 dentes na coroa maior, nem mesmo um peão (pinha ou cassete) cuja a menor relação com 11 ou 10 dentes (geralmente 11 dentes), consegue oferecer uma opção boa para velocidades altas. Em descidas fortes, a mais de 50 km nem preciso dizer que as pobres pernas do ciclista não aguentam o giro alto, imagine a velocidades superiores como 60, 70 e quem sabe 80 km por hora das grandes e longas descidas. Em alguns lugares é desnecessário ter relação mais longa, mas aqui no RS, bem como outros locais com grandes descidas, a relação longa é tão necessária como ter um bom jogo de freios, sendo um pouco exagerado. Sim, descer uma grande ladeira com relação 42 x 11 é confiar apenas no equilibrio. Pedalar em descidas, mesmo que suavemente, representa melhor equilibrio, e consequentemente mais segurança ao biker. Esta afirmação é baseada em experiências próprias, mas cito sabendo que outros ciclistas experientes pensam parecido. Um pedevela reduzido é uma ótima opção para trilhas, onde o "torque" é mais interessante. Também é interessante aos novatos, pois a relação curta otimiza a pequena força dos iniciantes, oferecendo bons resultados em subidas. Em trajetos urbanos, ciclistas acostumados, devem usar relação um pouco mais longa, tais como as seguintes combinações:

- pedevela 24-34-44
- pedevela 26-36-46
- pedevela 28-38-48


Outras combinações podem ser ótimas. Algumas vezes, estes pedevelas possuem opção de troca de relação, oferecendo outras opções de combinação. O ciclista experiente sabe como prefere.
Uma das relações que mais gostei foi do pedevela 28-38-48T, onde pude escolher um cassete de 12-28T (escalonamento de 1 a 3 dentes entre extremos).
A combinação de relação, bem como o uso correto das mesmas, é uma tarefa que merece estudo dos bikers mais envolvidos. Escolhendo bem, consegue-se ótimos desempenhos em qualquer opção de trajeto.

Roberto Furtado