quarta-feira, 29 de julho de 2009

Raios - qualidade e montagem

A raiação de roda é tão importante quanto qualquer outro componente. Já vi ciclistas experientes usarem raios de má qualidade em bikes de alto nível, economizando uma centena de reais. Não recomendo economia neste tipo de material, especialmente se o biker costuma ir a locais isolados ou de terreno acidentado. O raiamento (ou raiação) sofre os mesmos problemas de fadiga notados em quadros de aluminio, ou em outras peças. Independente de qual for o material ou nível, a fadiga é um fenômeno inevitável. Isto pq o raio como peça tensionada que é... sofre alterações desta tensão de forma cíclica, estando sujeito ao processo que ocorre de dentro para fora da massa do material. Chega-se ao ponto de ruptura, geralmente imediatamente na curva da cabeça do raio. Neste ponto é claro e óbvio a física dos materiais, que o alivio de tensões se faz obrigatório neste tipo de produto, especialmente devido modo de obtenção dos raios, processo que leva o material ao extremo na fabricação. Sabendo que existem estas necessidades, tanto para obter, como para aliviar as tensões internas, é fácil entender pq o raio da bike deve ter alta qualidade. A alta qualidade, geralmente esta associada as grandes marcas deste tipo de material. Já ouvi dizer que o melhor raio é da DT Swiss, e não duvido nem um pouco. A foto acima é de raios DT Swiss, aqui no Brasil, encontrei-os no valor de 3,50 reais a unidade, contra 70-90 centavos de raios de inox vendidos sem marca (tipo china). Sem desmerecer, mas garantias seguem de tradição e as vezes, de baixos lotes, coisa que os chineses ainda não fizeram. A perfeita montagem de uma raição depende de alguns detalhes, dentre eles, destaca-se a experiência e qualidade do montador. Montar todos montam, mas montar uma roda sem "pulos" já é uma tarefa um pouco mais complexa. Saber a tensão adequada, combinação perfeita de materiais (aros, cubos e raios), bem como centralizar o bem dito guarda-chuvas, é tarefa para bons. Aqui em Porto Alegre existem poucos lugares para isto, vi muitas rodas mal montadas em lojas... não sei se era pressa, má vontade ou inexperiência. Não entregue seu material a qualquer um, utilize experiência de outros colegas. Sem intenção de fazer propaganda, mas inevitavelmente fazendo... levo minhas bikes no Tchaka, e tenho ficado bastante satisfeito. Acabei ficando amigo do cara, pois amigo de minha bike, meu amigo é! Gosto bastante do trabalho dele.
Voltando na questão do raiamento, é bom lembrar que é fácil perceber quando a roda necessita de nova centragem ou reaperto. Podes ver se a roda dança um pouco, suspendendo a bike, ou podes fazer esta verificanção sempre que consertares os pneus. Com o pneu fora do aro é mais fácil de perceber. Também dá pra verificar a tensão dos raios apertando com o polegar e indicador, um raio contra o raio que cruza por ele. Desta forma forma consegues ver se as tensões são mais ou menos homogêneas. Raios frouxos indicam necessidade de reaperto. Um raio sem tensão, sobrecarrega um raio seguinte!
Bom, dicas simples, mas dicas úteis...

Roberto Furtado