sexta-feira, 17 de julho de 2009

Deixa a bike rolar! Gira roda meu filho!


O melhor rendimento é um "desafio" para muitos ciclistas. Acho que não faz diferença se a prova vale pontos ou medalhas, ou simplesmente a superação pessoal. Fazer a bike render mais é relativo e objetivo de todos. O ciclista de maneira geral, busca sempre a mesma meta, chegar em tempo menor, ou menos cansado. No meu entendimento de melhor rendimento, busco sempre percorrer a mesma distância gastando menos energia. Uma das grandes verdades para não se chegar esgotado ao fim de uma pedalada longa é não ultrapassar o seu próprio ritmo habitual. Temos todos, um ritmo ótimo. Meu ritmo ótimo fica entre 20 e 25 km horários, depende um pouquinho do preparo, do clima e do peso da bike. O ritmo você descobre fácil, basta fazer um pedal plano, tentando manter uma média, e percebendo se esta sendo difícil ou fácil manter este ritmo. Algumas vezes, há sensação de girar roda apenas... você pedala e não sente desgaste momentâneo algum. Nas descidas, deixe a bike rolar, mantenha-se praticamente imóvel sobre a bike, e não segure os freios... deixe a bike render, no alto da lomba, você tem tudo para se poupar. Deixar de pedalar pelo tempo em que estiver descendo, é um um precioso descanso, aproveite e altere sua posição. Na descida, o ciclista pode se abaixar um pouquinho, vai perceber que a bike rola melhor quando o vento não bate de frente com o tórax. Nao use o freio nas descidas... e não pedale nas mesmas, deixa a bike render! Seja prudente, e mantenha-se ligado em obstáculos (móveis e imóveis), deixe as mãos sempre próximas ao freio. Nada de descer com as mãos em posições longe dos freios, oferecendo perigo a sua segurança e de outro colega. O peso total, acusado de inimigo, nas descidas vira seu amigo, faz uma bela inércia. A inércia aliada a uma boa suspensão, também facilita o ritmo em descidas e planos. O audax é uma ótima oportunidade de testar-se, e comprovar seu ritmo. Se chegares acabado... alguma coisa fizeste de errado, pode ser ritmo errado. Podem ser outros fatores também, portanto, investigue! Dor em uma única perna, pode ser um problema particular de "anatomia", ou uma bike desalinhada (ou tamanho e qualidade inadequados a função). O peso da bike não é o maior problema, exceto por subidas excessivamente íngrimes. Muitos se perguntam sobre o peso entre bikes, se faz tanta diferença assim. Já refleti um pouco sobre o assunto, mas continuo duvidoso por causa de alguns aspectos. Inicialmente, destaco que antes de qualquer coisa, é importante salientar que o preparo físico do biker deve estar em dia. Não adianta nada ter uma bike de 9 kg, e estar 20% acima do peso, ou simplesmente estar sedentário a meses. Bike de 9 kg é para biker que pedala muito, especialmente em provas. Não acho que 1 kg faça diferença em provas do tipo Audax e outras de longa distância. Tive um pouco de dificuldade com o peso da bike em audax pelo peso que minhas bicicletas tinham nestas datas, incluindo a quantidade de ferramentas e acessórios que julgo necessário. Minhas bikes em Audax, normalmente estiveram bem próximas de 20 kg, mas achei sempre que nas provas de 200 e 300 km, não faria tanta diferença. A verdade é que faz um pouco, mas audax é prova de superação pessoal... então fica a critério de cada um quanto e como deve ser o equipo a ser usado. Bike pesada é sinônimo de bike com inércia... devemos ver a situação pelo lado bom. Aliás, se vais começar um audax pensando em desistência, nem comece! O esquema é ir tranquilo, não precisamos provar nada pra ninguém... mantenha-se na sua meta, pense na sua média, e conte cada 1/4 da prova como uma vitória. Como dizia Renato Russo: "quem acredita sempre alcança"... Ponha fé em você, deixe a bike lhe ajudar, deixa a bike rolar... gira roda, meu filho! rsrsrsrsrs
Grande abraço

Roberto Furtado