domingo, 17 de maio de 2009

Mais sobre longtails (ou long tails)

O garimpo na internet é algo que sempre traz resultados, havendo interesse e tempo, acha-se muita informação. Algumas coisas parecem ser feitas ou escritas por lunáticos, mas filtrando bem sobram informações bem produtivas. Neste caso, a respeito de longtails, podemos dizer que os conceitos e idéias são diferentes... riqueza em variedade de idéias. Haverão aquele que acham que uma bike já deve nascer Long tail, e outros que acharão que a opção deve ser "reversível". Acredito que que uma bike nascida ou devidamente transformada para long tail, de forma definitiva, é a melhor opção... fica-se com o veículo mais firme, mais leve, mais confíavel e mais bonito. Contudo, estragar um quadro de Cr-Mo para tal adaptação pode ser um pecado, pois sabe-se que estes quadros estão cada vez mais raros, especialmente os bons e boas condições. Muitos proprietários deixam bicicletas em estados lamentáveis, usam para outra finalidade, e hão aqueles que carregam botijão de gás no top tube... sim, já vi isto!
Uma bike long tail, nas mãos de um ciclista cuidadoso é provavelmente eterna. Uns dirão que o quadro carrega mais peso, e que sofre possivelmente a temível fadiga, no entanto, quadros longos absorvem muito melhor os esforços causados por oscilações do pavimento, e também duram mais por isto. Uma questão de respeitar limites... uma long tail nasceu para carregar grandes volumes, e não grandes pesos. Eu diria que o peso deveria ser inferior a metade do peso do biker, mas com certeza ela aguenta mais isto. Abaixo, algumas fotos retiradas da internet.





Roberto Furtado