quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Versatilidade em bicicletas 1

Eu e o amigo Raul, após alguns passeios e bagagem de km percorridos... discutimos sobre a versatilidade e especificidade dos modelos de bicicletas. Alguns modelos, muito apreciados por cicloturistas (como as bikes de aro 700) são tão específicas para o asfalto e chão batido liso (e limpo), que ficam com uso restrito. Numa viagem, não poderia escolher entrar em uma estrada de areião, pois em algum trecho a surpresa poderia ser grande. Imagine uma bike com pneus 700 x 38 (estou sendo favorável em termos de medida de pneu), enfrentando os "bolsões" de areia fofa que passamos na RS-118... impossível! Já exigiu cuidado de MTB´s com pneus 26 x 1.95, imagine só um pneu com pouco área de contato. A areia fofa, simplesmente passaria por cima do aro, pondo a prova o equilibrio do ciclista, forçando raiamentos da roda, e possibilitando uma queda prejudicial a bike e ao biker. Longe de casa, nem pensar! No fim, penso que uma bike versátil é aquela que permite o uso em qualquer terreno proposto ao cicloturismo... alterações rápidas, como a troca de pneus slick ou mistos, por pneus de grande largura e com garras, ainda é aceitável. Supondo que o trajeto seja estudado antes da viagem, e que se saiba que são 100 km de asfalto e mais 40 km de chão batido, justifica-se a troca de pneus. Bikers experientes, não levam mais que 15 minutos para trocar dois pneus. O uso adequado dos pneus, em cada condição, favorece o ritmo, a pedalada, e poupa o cicloturista de desgastes desnecessários. Em outra oportunidade, farei mais considerações a respeito.