segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Passeio até Itapuã - via RS 118 (chão batido)!





Eu, Raul e Renan... assim nesta ordem da foto acima, proprietários de bikes de aço cromoly. Duas trek 820 e uma specialized hardrock, adaptadas ao cicloturismo. Após saída de Porto Alegre as 8:00 de sábado, ponto de encontro ao lado da PUCRS, rumamos ao entrocamento entre a RS 040 e RS 118. Logo que entramos na RS-118, percebemos que o caminho seria de média dificuldade. Havia muita costeleta na estrada de chão batido, e alguns trechos havia areia fofa acumulada. O trajeto exigiu atenção e baixa velocidade... bikes com pneus 26 x 1.95, não havia como usar pneus slick. Um passeio bastante bonito e tranquilo, e chegamos ao Restaurante da Vó (a beira da estrada na periferia da vila de Itapuã, logo após a ponte sobre o arroio Itapuã) por volta do meio dia, onde almoçamos em um buffet bem servido ao valor de 10,00 (por pessoa). Depois de almoçar, fomos a beira da praia juntamente com a boca do arroio Itapuã (ao lado do clube de regatas de Itapuã), onde batemos a foto acima. O passeio de retorno via asfalto, passando pelo Lami e pela Restinga, foi tranquilo, porém quente! Alguns km antes de chegar ao entrocamento da restinga, paramos no tradicional suco, onde descansamos e apreciamos o famoso suco. Chegamos na zona sul de Porto Alegre por volta das 16 horas, um pouco cansados, mas felizes pelo excepcional passeio que fechou com mais ou menos 100 km.

Passeios com pequenos e organizados grupos, provam que o sucesso da empreitada é total. Não houve um dano nas bikes, nem sequer um pneu furado. Companheirismo é tudo.

Grande abraço aos meus companheiros Raul e Renan

Roberto Furtado