terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Audax Randonnée 300 Km de Santa Cruz do Sul 10/01/2009

O sempre bem disposto e prestativo Faccin gostou do meu ultimo relato publicado no seu blog que pediu para eu escrever um artigo sobre os 300 Kms de SCS. Sem duvida, um evento externo, em ambiente aberto, no Sul do País no inverno é muito difícil. As temperaturas castigam e chegam perto de zero grau. Nas madrugadas podem chegar a números ainda menores. Então, interessante é fazer um evento no verão com calor, luar, sem vento, tudo de bom. Mas o verão de 10 de janeiro de 2009, na região de Santa Cruz do Sul foi muito ruim para quem pedala. Saímos de Santa Cruz do Sul as 20:00 h. com um tempo fechado, anunciando chuva a qualquer momento. Ela chegou com tudo e se alastrou até por volta das 3:30 h da madrugada. Nuca tinha visto tanto sapos e pererecas atravessando a estrada fazendo a festa na noite quente e úmida. Choveu tanto que cheguei a incrível situação de quase atropelar.......“pasmem”.....uma tartaruga. Se a “bicha” não encolhe o pescoço, hoje teríamos uma “tartaruga sem cabeça” pela região do Vale Verde. Neste ínterim, houveram algumas quedas, saída de pista, tudo devido às chuvas e buracos profundo no asfalto, o mesmo motivo para um bom numero de pneus furados. E, não esquecendo que houveram algumas desistências por acidentes inclusive com a quebra das Bikes. Mas o que mostrou o espírito de coleguismo no Audax cabe ao Edmar, “vulgo” graxa que mesmo ficando fora do evento por um problema citado – buraco profundo com a quebra da Bike - ficou no local sinalizando com o farol para as pessoas que vinham logo a seguir para não caírem no mesmo local. Essa sua iniciativa ficou na minha cabeça por vários kms na noite chuvosa e escura. Também há de salientar a “arrastão” na estrada feito pelo Valim e também pelo Gabriel na madrugada, verificando se estava tudo bem com o pessoal. Após a chuva intensa, já por volta das 4:30 h apareceu um forte vento lateral que limpou o tempo levando as nuvens para outros “rincões” e aparecendo uma imensa lua. Seu clarão era tão forte que deu para andar mais rápido e o farol perdeu sua utilidade. Foi só o tempo limpar para aparecerem os cachorros, os gatos querendo “papar” algum petisco antes do café da manhã, no caso os sapos. Também vi uma bela e caçadora raposa procurando sua caça no acostamento. Em resumo, nas noites de verão a “bicharada” faz a festa. O dia amanheceu, e com ele o sol e o calor acompanhou até o PC de Cruzeiro do Sul, - cidade bem legal - sempre bem monitorado pelo Kieling e os companheiros de Lajeado. Na volta inevitavelmente ainda peguei pelo caminho após um imenso calor duas pancadas fortes de chuva – as famosas chuvas esparsas – como chamam os meteorologistas. Bem, o resumo é que no meu caso, foram dois pneus furados, um tombo com vários arranhões, uma saída da pista e subida num canteiro, um velocímetro que pulou fora num buraco e nem tudo isso fez com que eu desanimasse de seguir a diante. O Audax, como nas nossas vidas, são cheias de imprevistos e que aprendemos a lidar com eles seja quais forem. Feliz de quem consegue levar estes ensinamentos para o seu dia a dia.

Carlos Polesello
Porto Alegre – RS


O material acima foi contribuido pelo colaborador e amigo biker, Carlos Polesello. Carlos é um "apaixonado" por AUDAX, desafiador dos próprios limites... comum entre outros audaxiosos bikers. Carlos, parabéns por mais esta empreitada, e continue me passando estes relatos, pois tenho certeza de que muitos estão acompanhando com este entusiasmo que tens mostrado.
Um grande abraço

Roberto Furtado