sexta-feira, 8 de julho de 2011

Power link... para limpar a corrente!


No assunto corrente suja... ou melhor, limpeza da corrente, aproveito a oportunidade para realizar considerações sobre um dispositivo que tem sido só alegria. O power link se mostrou uma peça extremamente simples e com grande importância, tem se popularizado muito entre todo tipo de ciclista. Para quem pega estrada de chão batido, acaba sendo excelente opção ao fim do passeio. Sujar as mãos nem é preciso se o ciclista tiver prática. Segura a corrente com um papel e com as duas mão empurra o um elo contra o outro. Pronto... corrente aberta, corrente dentro de um recipiente com desengraxante, sacode para afrouxar toda sujeira presa no óleo. Deixa secar (muitos dos solventes evaporam rapidamente), coloca no lugar de novo, lubrifica. O ideal seria limpar toda relação, mas se o ciclista fizer isto já é meio caminho andado. Melhor limpar pelo menos uma vez por semana, do que levar um mês para fazer uma completa. Para quem costuma (ou deveria) realizar a manutenção da bike, a corrente limpa e lubrificada é das tarefas mais importantes para a longevidade, perfeito funcionamento e confiança no equipo. O dispositivo power link, é nada mais e nada menos que um elo de corrente com montagem e desmontagem facilitada, traz benefícios na remoção e limpeza da corrente. Também se mostrou uma ótima alternativa para "quebra" da corrente em trajetos sem recursos. Não é muito comum corrente quebrar em passeios e trilhas leves, mas pode ser um recurso até para quem se encontra em uma prova. Uma reflexão sobre a peça e os benefícios, sem dúvidas, pode fazer toda diferença em um passeio mais longo ou nas manutenções. Tenho usado em minhas bicicletas a corrente KMC Z72s, ela já possui este link incluso, embora muito comerciante malandro esteja retirando e vendendo separadamente, como vi aqui em Porto Alegre, mas ficar esperto é também papel do ciclista. Afinal, estamos falando de cuidar da bike da gente, e o que poderia ser mais precioso que uma bike bem ajustada e funcional?

Roberto Furtado