terça-feira, 24 de maio de 2011

O homem, a bicicleta e o tempo


Os tempos voam sem critério, em pura velocidade, jovens se tornam velhos, velhos viram história e saudade, alguns deixam muita saudade e um legado. Sem tristeza é preciso lembrar, um dia deixaremos o lugar aos filhos dos que hoje nascem pra vida. Acredito que a maior invenção, de caráter puro e bem sucedido, seja a bicicleta e suas similares variações. A bicicleta é o melhor meio de transporte que o homem já criou, otimiza a energia do próprio transportado... o homem gera com seu esforço, uma energia que o desloca com economia por muitos km. Quando um homem poderia caminhar 10 km para chegar ao trabalho? Um homem que caminha 10 km, em rítmo de 5 km/h levaria 2 horas para chegar ao destino... de bicicleta, considerando uma velocidade de 20 km/h (normal para um ciclista acostumado), este trabalhador chegaria ao destino em 30 minutos. Apostaria ainda, que o trabalhador que usa a bicicleta, chegaria sempre com menos gasto de energia ao fim do dia. Não é possível esquecer os benefícios da inércia quando estamos em uma bicicleta... a pé, a vantagem simplesmente inexiste.
O homem coerente, com sua tecnologia, criou a maior legado. A bicicleta não polui significativamente, não provoca ruidos, e geralmente trafega em velocidades que não causam grandes acidentes. Nesta questão da segurança, penso assim pq não vi um acidente coletivo com vítimas fatais como os que acontecem em carros, ônibus e aviões. Dizem os insistentes que o avião é o transporte mais seguro do mundo, e discordo. Pode ser o avião o mais veloz, mas mais seguro que uma bicicleta, acho pouco provável. Eu, caí algumas vezes de bicicleta... já fui até mesmo atropelado por uma, mas sobrevivi sem sequelas a todos os acidentes. De avião... só o highlander sobrevive, nunca conheci um sobrevivente de desastre aéreo. De fato, o transporte mais seguro, para mim, é a bicicleta. E alguns dirão que o tempo é inimigo do homem, e que a bicicleta aliada do tempo... mas acho que a visão é um pouco distorcida. O homem, na sua busca contra o relógio tem provado que muitas vidas se perdem em acidentes velozes. O homem morre em acidentes, outros morrem do coração e de câncer, talvez por causa da luta contra o relógio. Alta velocidade na busca de números e resultados imediatos, vida breve e imperceptivel. A vida dos apressados escorre como areia por entre os dedos. E a bicicleta, vira história... conta sobre o passado do homem que mais sorriu.

Roberto Furtado