quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Bike Expo Brasil 2008 x cicloturismo

Uma feira com novidades para o mercado brasileiro... esta é a proposta da feira, que segundo o ponto de vista de alguns veículos de comunicação, é a maior feira da américa latina. A verdade é que a feira é apenas um evento que deveria ser mais frequente e mais trabalhado, talvez semestral, devido ao avanço tecnológico compatível com este período. O Brasil parece "rodar" lentamente junto com o mercado mundial de bikes. É notável que muitos produtos interessantes e importantes ainda não estejam em nosso mercado. Talvez seja falta de criatividade, investimento ou organização de importadores e comerciantes. Sem falar na falta de apoio "integral" do governo para estimular a industria nacional e o uso de bicicletas como meio de transporte, que já não é novidade. Bikes não populares ou cujo público alvo ainda é restrito, não passam nem de raspão pelo Brasil. Curiosamente, em países vizinhos, é possível presenciar materiais que aqui aponto como raros. O cicloturismo ainda é novidade em relação ao número de praticantes, mas o crescimento é rápido... em 2 ou 3 anos, o aumento foi exponencial. Faltam equipos para a prática, tais como cubo dianteiro com dinamo, e cubo traseiro com marchas, quadros de cromo-molibidênio e assemelhadas composições do FeC, guidão específico, e outros materiais ambicionados por bons e ambiciosos cicloturistas. Materiais cuja cultura popular desconhece ou reprova, apontados como materiais nobres na Europa e EUA. De quaquer forma, o consumidor deve procurar estes materiais, pois o comerciante necessita deste apoio. A aquisição do café com leite, não trará o capuccino. É preciso pesquisar, usar a internet, ver o que usam lá fora e acreditar no mercado. Este é o comerciante que falta no Brasil, ou que pelo menos esta em pequena quantidade.

Segue o link do Pedal, sobre a feira:


Roberto Furtado