domingo, 1 de maio de 2016

Audax 400 km da Sociedade Audax de Ciclismo... dos Cataventos!







Fotos: Roberto Furtado / Sociedade Audax de Ciclismo
           No sábado, pela manhã, fui produzir algumas imagens deste evento que reunira cerca de 100 ciclistas para enfrentar os 400 km de madrugada fria. A temperatura caiu abruptamente aqui no RS desde a chegada de um frente fria. Estávamos acostumados com um semi verão em abril, quando a temperatura de uma noite para outra saiu de 20 para 6 graus. Antes da frente fria, tivemos noites com 22-24 graus Celsius. Talvez 5-10 graus não sejam tão ruins, mas o que representa um problema é a diferença de temperatura. Não pude acompanhar os ciclistas como faço muitas vezes. Infelizmente, em algumas oportunidades tenho trabalhos em mesmo horário que das provas... é difícil este desdobramento da presença. Como muitos sabem, já larguei a Federação Gaúcha de Ciclismo por este motivo. Agora estou tentando reorganizar o tempo para ficar presente nas demais ações da bike. Fiquei pela manhã com o pessoal até que pegaram os primeiros quilômetros na rodovia do parque... depois fui pra Lajeado. Neste domingo pela manhã acordei cedo e fui me encontrar com os primeiros que chegavam em Porto Alegre... outra vez na BR-448 (rodovia do parque). Os primeiros passaram por mim ainda nem dia era... nem deu pra produzir material. Logo que saiu o sol já foram aparecendo os seguintes... e por ali fiquei e cliquei vários ciclistas. Cheguei a ir para BR-116, mas é uma via totalmente inadequada para fotografia de ciclismo. Vi os rostos e a superação de muitos... a gente via o cansaço batendo na face da galera. Aquilo é coisa de valente mesmo... e não entenda que é coisa de homem, porque tínhamos várias representantes femininas no pelotão. Elas são corajosas... evidente que mais fortes que muitos homens. Nunca fiz um audax 400 km, mas tenho certeza de que não consigo fazer uma prova desta natureza. É uma prova de dentes serrados, fé e muita força. Tenha pernas... tenha fé... tenha muito mais que equilíbrio pra superar a si mesmo! Mais um gigante caiu... para muitos, isto é apenas o começo!

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Despedida da FGC...

Bonfante voando em Rolante.

Galera da EBNC
           Estou recebendo algumas mensagens privadas e emails. Eventualmente me encontram na rua e me perguntam um motivo... a razão das mensagens e perguntas são as mesmas. Questionam o motivo da minha saída como fotógrafo da Federação Gaúcha de Ciclismo. Quero deixar claro, antes de tudo, que não estou mais trabalhando mais com a FGC, mas continuo fortemente ligado a bicicleta. Permaneço ligado a Revista Bicicleta, onde minhas publicações podem ser vistas no site e na versão impressa da revista. Não houve nenhum desentendimento entre eu e a Federação Gaúcha de Ciclismo, menos ainda com o presidente Marcos Lorenz. Peço para que não ouçam bobagens a respeito de desentendimento, pois não houve nada disto. Simplesmente, com a demanda de trabalhos, precisei escolher. Optei por garantir que teria dois domingos em cada mês, livre de trabalho. Todo mundo deve regular o nível de trabalho para que a vida pessoal não torne-se sem sentido ou abandonada. Todos sabiam que o trabalho junto da FGC é uma atividade que também desgasta muito material, pois a cada evento produzíamos cerca de 500-1000 imagens. Depois que tive uma lente (objetiva) danificada pelo excesso de trabalho, percebi que era hora de regular o uso do equipamento. Desta forma pouparei o material em cerca de 15-20 mil cliques por ano. Como podem ver, são motivos pessoais... não há razão para ouvir teorias não verdadeiras. Sabemos que este é ano de eleição da FGC, portanto algumas afirmações não verdadeiras podem ter interesse político. Isto me preocupa,.. o que vale é o esporte ou a conquista de um cargo? Não transformemos o esporte brasileiro na política brasileira. 
Ainda que estejam justificados os motivos pelo qual não estarei mais cobrindo os eventos da FGC, eventualmente passarei por lá, talvez faça alguns cliques, pois sentirei falta de amigos e colegas. 
Bom, fica meu agradecimento por esta estrada de 5 anos... te vejo por aí. Saiba que ainda permaneço como um dos profissionais mais ativos na bicicleta brasileira. 

Fotógrafo viajou pelo mundo...

Mais um que saiu por aí em busca de viver... cada dia eu vejo que precisamos mais disto. Nós nos criamos enjaulados pensando que somos livres. E talvez, liberdade seja, ao menos uma vez na vida, permitir-se passar alguns meses viajando até que se mate a sede de viver! Motive-se...

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Pedal Ekonova Adventure em Farroupilha... muito calor!

Foto: Bira Rezler / Falco Imagens Aéreas

Foto: Roberto Furtado / Revista Bicicleta

Foto: Roberto Furtado / Revista Bicicleta

Foto: Roberto Furtado / Revista Bicicleta
            O Ekonova Adventure em Farroupilha foi um grande sucesso. Muitos ciclistas compareceram para o evento, alguns de inscrições de último momento, outros fizeram planejamento dias antes. As três opções de trajeto agradaram os participantes, e um esforço foi feito para garantir água para todos, já quem o calor foi surpreendentemente grande.  Quente... quente mesmo! Houve compensação... certamente todos os ciclistas, mesmo cansados, sentiram-se recompensados pelo cenário. O Salto Ventoso, em Farroupilha, é um lugar extraordinário. A beleza da queda dágua, gigantesca, certamente deixou vários ciclistas... perplexos! Arroios cristalinos, vegetação nativa, os vales e propriedades rurais no trajeto, certamente encantaram aos participantes. 

Participação especial...

         Há, sempre, uma boa história para contar. Nesta oportunidade cito o ciclista Samuel Stumpf. Samuel me surpreendeu com a presença... isto mesmo! Quando vi Samuel caminhando por entre os ciclistas, se dirigindo ao balcão de inscrições, pensei não estar entendendo perfeitamente o que acontecia. Havia uma ciclista com ele, ambos, trajados de ciclistas. A fina elegância de ciclista... camisa, bermuda, capacete! Lá, caminhava ele, acompanhado, em direção a participação do passeio da Ekonova. Em uma breve parada: "Ei, quero saber como isto funciona..." Me disseram que conversaríamos no trajeto, mas eu não tenho muito tempo durante os trabalhos. Circulo muito e perdi a oportunidade de uma bela conversa... nada que o futuro não reserve, mas sabe como é curiosidade, a gente quer pra ontem! Para quem não esteve lá ou não entendeu... e depois de apimentar a curiosidade alheia, explico. Samuel é portador de necessidade especial, no entendimento da sociedade, estamos falando de cegueira. Samuel segue o som da sineta de guias durante o passeio. Ciclistas que se revezam e, que certamente são muito especiais, realizam o auxílio do trajeto. O guia do momento aciona uma sinetinha pelo caminho, ele acompanha. Se este é ou não um ato de coragem e determinação, acredito, mas desconfio que Samuel veja como natural. Espero, um dia, tomar um café com ele e ter a oportunidade de uma boa entrevista, pq estou fascinado com sua sede por pedalar. Há motivos em todos nós, para seguir em frente ou parar, mas é continuar e surpreender que nos faz especiais, e não o fato de sermos diferentes. Somos capazes porquê acreditamos e, então, superamos expectativas! Isto nos torna grandes!

Na construção de um projeto

            Nós sabemos que não se alcança nada se estivermos sozinhos... Assim, neste projeto devemos agradecimentos aos apoiadores deste evento. Iniciamos pela Prefeitura de Farroupilha e Associação Farroupilhense de Ciclismo. A Hartz Natural e Biopoint sempre presentes nos eventos. Pela imagens aéreas, Falco Imagens Aéreas... Também a Lukla bike e lifestyle, e a Bike Garden, bike shop. 

A próxima empreitada...

           A Ekonova Adventure aproveita a oportunidade e lança o convite do próximo evento, em Bom Princípio, no dia 22 de maio. A 3ª Edição deste Pedal que já é tradicional no Vale do Caí, uma das mais belas cidades da região, conhecida como a Cidade do Morango, e por isto Pedal do Morango. Bom Princípio é um lugar acolhedor de povo trabalhador e hospitaleiro, com belezas que a Ekonova levará você para conhecer, e nada melhor que conhecer uma cidade pedalando. Os trajetos em três opções... Curto 20Km – Trajeto em desenvolvimento (Trajeto não terá trilhas e pouca elevação já que o relevo permite); Intermediário 30Km – Trajeto em desenvolvimento (Trajeto com trilhas); Longo 45 Km – Trajeto em desenvolvimento (Trajeto com trilhas e dificuldades maiores para quem tem preparo e curte um verdadeiro desafio). Inscrições no site da Ekonova.

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Nova Camptrail Bike Shop em Novo Hamburgo promete atender todo público da bicicleta!

A Bike Shop em local estratégico... Fácil acesso para quem vem de bicicleta ou de metrô!

Grande variedade de bicicletas para os pequenos ciclistas, opções!

Grande estoque... de variedade e unidades garantem abastecimento contínuo.

Bicicletas para atender ao público de todo poder aquisitivo. 

Espaço para muitas marcas e vendedores ciclistas (competidores), atendimento com conhecimento de uso.

Uma loja moderna com intenção de reverter um trânsito caótico em qualidade de vida para todos!

Acessórios de segurança... do passeio ao nível da competição!

Pedro Medina, representante da Vzan e bicicletas Audax, com o proprietário Tiago Lumertz.

Galera do DH apareceu em peso para prestigiar a inauguração. 
               Falar em abrir uma Bike Shop em tempos de crise parece ser um risco assumido... contudo, uma proposta realizada com seriedade garante o sucesso de um desafio. A Bike Shop Camptrail nasceu de um sonho, de acordo com Tiago Lumertz. "Nossa meta é abrir uma loja democrática no mercado... nós vendemos bicicletas para quem esta começando ou para quem precisa de uma bicicleta simples para trabalhar, ou ainda para quem vai para as pistas e competições. Deixar de apostar em quem começa poderia ser um erro... o mercado precisa ser trabalhado desde o início, para quem bons ciclistas e clientes surjam até que se tornem competidores!"
Uma proposta de milhares de reais demonstra as intenções sobre o mercado... quem nasceu vendendo bicicletas e pedalando, caso de Tiago, deve com certeza persistir nesta caminhada para atuar cada dia com mais qualidade e acrescentando o sistema que precisa da bicicleta. Novo Hamburgo parece ser uma espécie de centro, pois dentro da região metropolitana, esta mais próxima das cidades que ficam em torno de uma rota onde ciclistas ou futuros ciclistas podem dar uma passada por ali e sonhar. Em final de expediente, quem não gostaria de passar na Bike Shop e comprar os acessórios para o pedal noturno? Ou quem sabe, preparar-se para o final de semana de fortes emoções. 

Localização... para todos!

       Localizada na Avenida Nações Unidas, nº 3024, em Novo Hamburgo, a Camptrail Bike Shop situava-se em ponto estratégico para receber os ciclistas que viriam até o local da maneira que dispussem. Em frente a bike Shop circulam linhas de ônibus, trem e ainda há uma ciclovia. Ciclistas que pretendem vir de Metrô, devem ficar atentos aos horários permitidos para o ingresso com bicicletas no trem. A opção da empresa Tremsurb é muito prática e funcional para aqueles ciclistas que pretendem vir de outras cidades, como Porto Alegre, Canoas, Esteio, Sapucaia, São Leopoldo, e que farão o trajeto com Bike e Metrô. Há duas paradas próximas da loja, sendo uma delas a Estação FENAC e a outra a Estação Novo Hamburgo, com 400 e 900 metros de distância, respectivamente. Neste trajeto, ao lado da linha elevada do Trem, encontra-se a ciclovia inaugurada recentemente. A Bike Shop possui estacionamento para bicicletas... e também para quem chega de automóvel.

Estar preparado é viver bicicleta!

         Para Tiago, estar preparado é conhecer o mercado, estar envolvido! "Conhecimento do que é bom, funcional, atender ao cliente por gerar expectativa e superá-las é uma forma de garantir o fluxo de mercado e se comprometer com ações favoráveis à bicicleta. Estamos em todas as competições de downhill, em algumas de XC, frequentamos passeios e ações da bicicleta, também em modalidades de FX e Enduro que estão caminhando para um forte crescimento no Brasil. Venderemos bicicletas para todos os perfis de ciclistas! Estamos trabalhando em parceria com algumas empresas para criar   e atender o mercado. Aqui na loja estamos trabalhando na oficina sustentável... vamos reutilizar parte da água da lavagem das bicicletas para reduzir o impacto ambiental. Isto todos deveriam fazer com carros, também com bicicletas, e nós faremos para dar exemplo. Parte da água será reutilizada, outra parte será descartada já com remoção de resíduos. Assim, estaremos fazendo nossa parte colocando e mantendo bicicletas no sistema que deve reduzir o número de automóveis para um trânsito mais saudável!", finaliza Tiago.
A Revista Bicicleta esteve na inauguração, que ocorreu neste primeiro semestre de 2016. A loja caminha para concretizar uma grande proposta... e certamente bons exemplos a Bike Shop dará ao sistema. O grande diferencial é estar comprometido com o atendimento, com inovações, com desafios que se remetem a evolução neste mercado. Em tempos de crise... para crescer é preciso se destacar!

Imagens da Inauguração

Texto e fotos: Roberto Furtado / Revista Bicicleta

quarta-feira, 23 de março de 2016

Circuito de Pedais Ekonova - Edição Garibaldi








Fotografia: Renan Costantin / Bikes do Andarilho
             Em nova oportunidade, a Ekonova Adventure reuniu aproximadamente 250 inscritos na cidade de Garibaldi. A cidade localizada na serra gaúcha é conhecida como a terra do Espumante e, reserva lindos cenários da atividade que faz parte da história e cultura do RS. A cultura foi trazida junto com os imigrantes italianos, que hoje coopera fortemente com a economia local.
Os ciclistas percorreram três opções de trajeto, com indicações de acordo com a experiência de cada um. Um trajeto curto de 18 km e 560 metros de elevação acumulada foi a alternativa para quem não queria "exagerar". Havia muitas subidas para um trajeto curto, a geografia do Local não permitiu nenhum trajeto mais leve, mas 65% do trajeto possuía asfalto com baixo fluxo de automóveis e, o restante do trajeto foi em estrada de terra;  No trajeto médio, foram 34 km com 850 metros de elevação acumulada, boas subidas e duas trilhas. Uma das trilhas bastante técnica, o trajeto ainda contava com 30% de pavimento asfáltico ou bloquetos; No percurso longo, o trajeto possuia 42 km de distância e 1300 metros de elevação acumulada, muitas subidas, 2 trilhas (01 técnica), 30% com pavimento asfáltico ou bloquetos, subidas fortes durante o trajeto. O tempo colaborou, pois a previsão não era das melhores nesta oportunidade. Mesmo assim, muitos ciclistas compareceram. A cobertura fotográfica do Bikes do Andarilho foi realizada através do fotojornalista Renan Costantin.
Os agradecimentos ficam para a Prefeitura de Garibaldi, WE Arquitetura, Biopoint, Harts Natural e Falco Imagens (imagens aéreas). As imagens serão publicadas no link abaixo, que estará habilitado assim que o volume estiver pronto. 

Texto: Roberto Furtado
Foto: Renan Costantin
Entretenimento: Ekonova Adventure