quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Audax 200 e 600 km + Downhill Urbano = final de semana de fortes emoções

Sociedade Audax de Ciclismo. Foto: Roberto Furtado

Federação Gaúcha de Ciclismo. Foto: Roberto Furtado
          Neste final de semana acontece simultaneamente duas provas no sul do Brasil com relevância nacional e internacional. Para os entusiastas do ciclismo de longa distância, destaque dos brevets da Sociedade Audax de Ciclismo. O Audax 600 km inicia no sábado e finaliza no domingo, e acontece no domingo o Audax 200 km, ambos brevets oficiais da ACP (Audax Club Parisen). O Audax 200 km supera a marca de 270 inscritos. No Audax 600 km são 75 inscritos. 
         O DHU (Downhill Urbano) de Carlos Barbosa acontece em sua terceira edição com indício de forte crescimento na modalidade. Pilotos de todo Brasil prometem comparecer para "morder" parte dos 7.000 reais da premiação. Espera-se mais de 200 pilotos! Corrida é corrida! Só a oficial pode dar o topo para o piloto mais rápido! "Tem que ser perfeito!", já dizia Maicon Zottis no Brasileiro de DH 2013! 
         Quem puder, aparece... o espetáculo esta garantido! Não tem limite para uma prova fenomenal da descida no meio da cidade, assim como não tem preço assistir um ciclista percorrer 600 km dia e noite! Ambas as provas, são para os fortes! 

Texto e fotos: Roberto Furtado

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Lembranças da TREK... uma série 800!




Estava organizando os arquivos e encontrei algumas imagens que me causaram suspiros... As bicicletas da séire 800 da TREK! Elas são como amigos que perdemos para o tempo. Lembrança é sempre um sentimento bom, que carrega também um pouquinho de tristeza. Lembrei disto que tive, três bicicletas, de marca que respeito e que faziam minha alegria. Esta azulzinha tem peças de speed. E repara... trocadores de marchas da shimano, para guidão reto, compatíveis com cantilever. Lembrei disto agora... quando olhei para o pedevela. Postagem simples, só pra vc relembrar comigo... ou pra conhecer, pq tem leitor aqui que chegou bem depois de uma caminhada longa. 

quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Revista Bicicleta 043

A Revista Bicicleta consagra sua história como importante referência do mundo da bicicleta. Em novembro deste ano, completará 4 anos de existência. Os assuntos vão de competições a questões sociais... não falta diversidade neste assunto das rodas raiadas, não falta assunto na Revista Bicicleta. A edição 043 traz informações sobre cultura, questões sociais, a relação entre a mulher e a bicicleta, superação, provas de relevância nacional e internacional e muito mais. Temos nesta edição a participação do Bikes do Andarilho de forma direta, nas matérias de superação e na cobertura fotográfica do brasileiro de downhill 2014. Confira as abordagens da Revista Bicicleta, veja que nós fazemos para vc... nós somos bicicleta. #nossomosbicicleta
Em setembro estaremos em Las Vegas para mostrar o universo da bicicleta e suas tendências na Interbike 2014. Em final de setembro, estaremos em SP para mostrar o que vai acontecer no próximo ano da bicicleta brasileira, na Brasil Cycle Fair 2014. Acompanha!

#oficinanaofazmagica

foto: Roberto Furtado
O título desta postagem já diz tudo... oficina de bicicletas, mesmo que o mecânico seja o melhor, não vai fazer mágica por esta bicicleta. Não é raro vc estar pedalando nas ruas e observar outro ciclista bem a sua frente, cuja a bike deveria mostrar apenas a roda traseira para vc, mas que no entanto vc observa também a roda dianteira. Isto é fácil de explicar... pra quem vê, pq para quem faz bicicleta fica uma oportunidade vergonhosa para dizer que não sabe ou não pode fabricar bicicletas alinhadas. Gabarito para montar um frame tem que ser uma peça rígida, indeformável. Todo conjunto tem que ter um mínimo de qualidade. Mancais de eixo, ou gancheiras, ficadores de freios, cambios, alinhamento entre rodas dianteira e traseira, bem como de selim e guidão. Bicicleta que nasce torta, morre torta... não tem solução pra isto. Meu avô dizia... "gastar tempo com coisa mal feira é botar coisa boa (trabalho) em cima de coisa que não vale a pena!" Ele se referia a gastar tempo e dinheiro remendando materiais que não tinham qualidade mínima, desmerecedores de atenção. Ele tinha razão... continua tendo! Se vc comprar vbrakes shimano para colocar em um frame destes vendidos em supermercados, cujo o valor da bicicleta é de 300 reais, imagine que vai estar fazendo justamente isto. Colocar peças boas em quadro de má qualidade é jogar fora seu dinheirinho. Não tem mecânico que dê jeito nisto... #oficinanaofazmagica

Refletindo sobre o uso das bikes... do material aos problemas de trânsito!

frame de Cr-Mo 4130 - foto: Roberto Furtado
Acompanhando as tendências de perto é possível ver que o mundo esta mudando sobre os conceitos e sobre a importância da bicicleta. Aqui no Brasil, vivemos uma realidade bruta e difícil de mudar para o uso da bicicleta, mas aos poucos as mentes vão se transformando e gerando "possibilidades" e oportunidades. É preciso permitir a aceitação da bicicleta para que se torne uma realidade.
     Os frames disponíveis no mercado podem incluir aqueles comercializados no passado, trazidos por pessoas que foram ao exterior e ao retornar vieram acompanhados de uma bike. Há também dezenas de opções circulando em redes sociais, classificados, lojas e opções como "meu amigo tem uma bicicleta para vender!"
    Se somarmos os frames e bicicletas completas disponíveis ao sistema, entre novos e usados, veremos que há uma grande diversidade que pode nos levar a escolhas diferentes e até mesmo exclusivas. Não é muito fácil achar uma bike ou mesmo apenas o frame usado que se sonha, mas a luta diária pela busca pode representar um nível de satisfação acima da média. Por outro lado, bicicletas novas estão aí para serem testadas e aprovadas, com grande acessibilidade aos interessados. Vai lá na loja... testa, considera ou desiste da bike, e em caso da escolha definida, já faz no cartão de crédito minimizando a dificuldade da aquisição. Paga parcelado... viabiliza a compra! De maneira geral são bicicletas extremamente tecnológicas. Alumínio de toda natureza, do simples ao top, com recursos formidáveis da hidroformagem e tubos com letras em alto relevo e formatos diferentes para tubos do quadro.
           É curioso saber que o mundo, agora aplica materiais tão tecnológicos em bicicletas, mas em casos do Brasil ainda demonstra apatia pela bicicleta. É preciso insistir... a bicicleta move uma economia fantástica, mas ainda é tratada como brincadeira de criança. Os governos e a sociedade precisam aceitar a bicicleta para que o mercado se fortaleça! É muito comum escutar: "eu queria ir de bike para o trabalho, mas acho perigoso!" ou "não tenho onde deixar a bike com segurança, como vou fazer para ir de bicicleta?"
Fora isto, há também problemas graves da qualidade de bicicletas acessíveis... onde não há controle, bicicletas de má qualidade invadem o mercado e acabam se transformando em prejuízo para quem precisa do deslocamento, e também lixo pq ninguém consegue arrumar esta bicicleta (#oficinanaofazmagica). Agora se a gente reparar nas bicicletas que realmente rodam as ruas em favor de uma mobilidade eficiente, perceberemos que muitas das bicicletas são antigas, algumas modernas, porém de elevado valor. Bicicleta deve oferecer um mínimo de qualidade a quem roda, pq estalos, contratempos, e frustração não acrescenta nada no ânimo de quem gosta de pedalar. Mesmo para quem gosta de pedalar, tornaria-se um problema usar a bicicleta com defeitos cíclicos que levam do desconforto ao atraso. Bicicleta tem que ter qualidade! Para bicicleta ter qualidade... tem que vender mais bicicletas, pq assim elas custarão menos, bicicletas de qualidade terão valor viável a mais pessoas.