segunda-feira, 24 de abril de 2017

Preparativos para a Rota dos Faróis - Alforges

Imagem retirada do site do fabricante, referente ao par de alforges Ciclotour 70L. 
          O planejamento é uma necessidade em todas as etapas... é a etapa das etapas no que diz respeito ao roteiro de viagem. O aventureiro vai se deparar com particularidades específicas a cada passo da montagem da bicicleta e ao menos para mim, fica cada vez mais claro que este é um momento que demanda muita atenção e reflexão. Ninguém quer se perder ou ter uma viagem encurtada, ou simplesmente ter que quebrar a cabeça durante a aventura devido ao mau planejamento. Por isto, planejamento é tudo! E aqui começo mostrando o planejamento deste projeto, cujo o resultado será o roteiro, com nome de Rota dos Faróis. 

A bagagem... Curtlo Ciclotour 70L

                A bicicleta escolhida foi a longtail, da Art Trike, pois ela ficou em teste por longa data e se mostrou muito eficiente para percorrer muitos quilômetros com conforto, embora seja uma bicicleta naturalmente mais pesada. Se por um lado estamos falando de uma bicicleta mais pesada, por outro sabemos que se trata de uma bicicleta extremamente forte e com área de bagageiro integrada e capaz de carregar não apenas um alforge de cada lado. A dimensão do bagageiro da longtail permite carregar dois alforges de cada lado, ou ainda, grande quantidade de equipamentos extras bem distribuídos, sem que seja necessário colocar o peso acima da linha superior do bagageiro. Esta distribuição permite um melhor equilíbrio para a bicicleta, que se torna muito mais perceptível por parte do ciclista depois que ele estiver cansado de percorrer longas distâncias. Neste caso, falamos de uma qualidade muito importante para o veículo escolhido para uma aventura como esta. Depois de usar a longtail por vários meses, posso dizer que não vejo outra bicicleta tão especial para este tipo de utilização... e acredito que na medida em que as pessoas conheçam este conceito, ele se tornará mais popular. Posteriormente falarei mais sobre as características e vantagens desta bicicleta. Falarei de como vou carregar minhas roupas e alguns utensílios leves. Fiz uma pesquisa rápida no Brasil e acredito que estes alforges da Curtlo, sejam um dos mais populares em termos de disponibilidade no mercado, confiabilidade e praticidade. E este é um assunto que precisamos ter cuidado.., Em primeiro momento, me parece que estes alforges da Curtlo, modelo Ciclotour 70L, sejam extremamente práticos e bem construídos. O valor deles gira em torno de 800 reais numa pesquisa rápida, mas acredito que estejamos falando de um produto que vale cada centavo. Não gostaria de ter que improvisar capa de chuva para que minhas roupas ficassem secas, tampouco experimentar que o alforge descosturasse ou quebrasse um zíper pelo caminho. Eu tomei alguns cuidados ao pensar nos alforges, e quando cheguei a Rodociclo Bike Shop para escolher os mesmos, já sabia no que deveria ficar atento. Os alforges utilizam um excelente sistema de zíper, da marca YKK, que é a maior fabricante do mundo neste meio dos dispositivos de abertura. Me parecem que são de aço inox, inclusive, mas não achei uma informação sobre isto. Minha suspeita pelo material é grande pela aparência dos puxadores, pois tenho muita familiaridade com aços, especialmente do tipo inox. Se não forem de aço inox, ficarei surpreso, pois o acabamento destes é realmente muito bom. Este é um dos pontos que me chamou a atenção, pois a Rota dos Faróis é um trajeto costeiro, neste caso pela faixa de areia de praia, onde a maresia é bastante agressiva aos metais. Além desta notável qualidade do sistema de zíper dos alforges, outros dispositivos e acessos me parecem excelentes. Inclusive, uma das unidades do par de alforges, possui alças do tipo mochila, possibilitando que, em caso de um algum momento seja preciso deixar a bicicleta em algum lugar, se possa levar os itens mais pessoais consigo. No exemplo de levar a bicicleta no bagageiro de um ônibus, avião, ou trem, o aventureiro tem com ele um dos lados do alforge, facilmente transportável como mochila e contendo itens que ele prefere manter ao alcance da mão. Pense itens pessoais, inclusive medicamentos, tablet e uma infinidade de itens devido ao grande volume da bolsa específica. 
Estou certo de que em outras oportunidades, falarei sobre os alforges, mas por hora tenho ótimas impressões sobre isto. Gostaria de deixar claro que a escolha do alforge e estas abordagens são bem pessoais. As fiz com base nas minhas experiências e conhecimento, estou realizando uma observação crítica muito cuidadosa para que seja referência aos demais colegas que pretendem viajar.

Mais informações do projeto neste link:

http://www.bikesdoandarilho.com/2017/01/rota-dos-farois-um-roteiro-incrivel.html


segunda-feira, 3 de abril de 2017

Audax 200 km + Desafio 125 km... pela Rota do Sol com a Sociedade Audax de Ciclismo 02.03.2017






Fotos: Roberto Furtado / Sociedade Audax de Ciclismo
          Uma coleção de imagens tão grande deveria descrever perfeitamente um dia de tanto pedal, mas a verdade que nenhum video ou coleção fotográfica poderia passar a real sensação de passar o dia pedalando por um cenário tão bonito. Para mim, este é o brevet mais bonito de todos... 
Tivemos muito ciclistas iniciantes na estrada e posso dizer que muitos precisam rever seus cuidados sobre a forma de pedalar pela estrada. Fazer duplas, trios ou mesmo quartetos lado a lado deve soar como imprudência aos experientes e também aos familiares dos ciclistas que faziam este tipo de tráfego. Confesso que me assustei muito com a desatenção de alguns... mas que fique registrado e quem fez, sabe que o fez. E se eu não fizesse o puxão de orelha estaria sendo tão imprudente quanto... A gente entende pq ciclistas experientes de longa distância pedalam sozinhos... há motivos de sobra, e se eles não dizem nada aos demais é pq possuem receio de não serem levados a sério. A gente vê de longe quem esta acostumado, quem esta preocupado e pedalando de forma responsável. 
No mais, a prova estava linda... o cenário é realmente incrível como pode ser visto um pouquinho nas imagens. Espero por mais dias assim... e com prudência. 
Forte abraço... e longa estrada. Fico por aqui... 

Imagens do Audax 200 + Desafio 125 da Sociedade Audax de Ciclismo - SAC (02.03.2017)

sábado, 1 de abril de 2017

Massa Crítica é feita de gente... MC 31.03.2017








Fotos: Roberto Furtado
               Fiquei aqui borbulhando em pensamentos... acho que foi quando a amiga Fayga me perguntou se estava tudo bem que me dei conta que entro em um transe reflexivo sobre as coisas que presencio. E eu vi muita coisa... eu me apaixonei pelos sorrisos, pelo ideal, pelos olhares decididos, cautelosos e silenciosos. Eu adoro isto... esta gente que pulsa, que vai pra rua pra ser manifesto e alegria ao mesmo tempo. Confesso que me apaixono fácil por coisas boas... 
Eu não sei bem onde tudo isto vai parar... e nem sei se estou com este foco, me vejo no presente, lutando por um amanhã depois de hoje. Dois dias depois é tempo demais para vivermos e pensarmos. E eu quero que as coisas mudem para amanhã, não dois dias depois. Sou imediatista demais para pensar em depois de amanhã, quero agora. E o que quero é esta liberdade que sentimos nesta sexta a noite... para hoje, para amanhã, e depois de amanhã a gente vai querer também, mas aí a gente vai se preocupar depois. Uma parece se constrói pensando no agora... Tava muito bom ontem a noite. Espero por mais dias assim, seria sonhar muito? Bom... eu tenho muitos pensamentos sobre ontem, mas eu vou me conter aqui e deixar vcs com as imagens, e aí cada um pensa o que quiser, pois não adianta eu sugerir, nem outro impor, o tempo de cada um oportuniza as próprias reflexões. 
Até a próxima... 

sábado, 25 de março de 2017

Ghost Bike + Ghost Skate = uma semana muito triste!






Fotos: Roberto Furtado / Bikes do Andarilho
          Semana triste pra comunidade ciclística... semana feia, nebulosa! Dois graves incidentes não fatais foram divulgados por videos, nesta semana, nas redes sociais. Ciclistas agredidos, um com extintor de incêndio, em outro caso com uma barra de ferro, por motoristas, de um ônibus e um lotação... sim, motoristas de coletivos agrediram ciclistas após discussões de trânsito. Não bastasse tais incidentes de claro desrespeito com a vida... tivemos duas baixas. A ciclista Lurdes Menegat Dreyer, de 77 anos, foi atropelada na avenida Salvador França nas imediações do Jardim Botânico... falecendo no local, no último domingo. O skatista, que era também ciclista, Carlos Henrique Muller Rocha, 25 anos, foi atropelado na ciclovia por um automóvel cujo o condutor estava embriagado, sendo vitima fatal do ocorrido. Centenas de ciclistas estiveram presentes nos dois locais, homenageando as vítimas e colocando a ghost bike e o ghost skate para que sejam lembrados. Ali, pessoas perderam suas vidas para condutores que não respeitaram as leis. Todo crime contra a sociedade precisa de julgamento coerente... as vidas não voltarão, mas os exemplos de punição podem trazer redução da violência por educação. No país da impunidade, resta saber se estes crimes serão julgados de acordo... já que os sorrisos, não mais teremos!

Imagens do ato Ghost Bike + Ghost Skate de 25.03.2017 

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Rota dos Faróis... um roteiro incrível!

Proximidade do Concheiro do Albardão, na maior praia do mundo! Foto: Roberto Furtado
Um roteiro incrível... a rota dos faróis!

               "Rota dos Faróis" é uma produção fotográfica e será publicada na Revista Bicicleta e em outras mídias específicas de viagem e aventura. Uma coleção de imagens será disponibilizada no Flickr e Google+, descrita no blog Bikes do Andarilho. O projeto é a geração de um roteiro da região costeira com arquivo fotográfico. O roteiro será executado em aproximadamente 10-14 dias com pouco mais de 700 km para a extensão de 623 km... e vc não imagina tudo que existe nestes mais de 600 km. Não perde esta edição... eu vou falar bastante nisto, então vc saberá quando ela será publicada. A trip vai acontecer em março de 2017, mas deve ser publicada em abril ou maio.

Na Revista Bicicleta

               A pauta terá em torno de 6 páginas com curiosidades, lendas e outras histórias locais. No trajeto estarão todos os faróis da costa do Rio Grande do Sul, pontos turísticos, sugestões de locais para acomodação e refeição, também marcação de pontos como naufrágios, passagens por reservas (parques Lagoa do Peixe e Taim) e outros locais que as pessoas deveriam conhecer e proteger. Para saber mais do meu trabalho, indico meu Flickr e Google+ tenho centenas de álbuns com meus trabalhos fotográficos relacionados com bicicleta e meio ambiente. No site da Revista Bicicleta vc encontra bastante material digitando meu nome na busca da página.

Um motivo?

Acredito no potencial deste roteiro, mas desde que era criança eu sonhava caminhar em direação ao sul no litoral. Não sei bem de onde nasceu isto, mas eu sonhei muitas vezes com este trajeto e depois de adulto visitei diversos trechos e constatei que há lugares diferentes e bonitos para serem explorados. Há histórias... há cultura local, há riqueza natural, fauna, flora, endêmicas! Traçar um caminho para aqueles que também desejam viajar por belas paisagens... como na maior praia do mundo, não seria pra lá de especial? Falamos de dezenas de faróis, naufrágios, parques naturais, etc. Conto com a ajuda de todos para conseguir materializar este projeto que objetiva conscientizar as pessoas sobre este belo litoral com potencial turístico e que deve ser protegido.  Eu vou mostrar muito... não perde! E ajuda aí se puderes... https://www.vakinha.com.br/vaquinha/rota-dos-farois

Obrigado... valeu!

Roberto Furtado

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Audax 300 km 2017 da Sociedade Audax de Ciclismo - Giro do Vitor










Puxão de orelha...
No sábado ainda, fiquei muito chateado pq vi dezenas de ciclistas trafegando como se não estivessem presentes no briefing. E o mais complicado de tudo é que muitos não eram marinheiros de primeira viagem... tem girador experiente que continua fazendo de forma arriscada, pensando que aqueles que estão ali trabalhando querem apenas incomodar. Eu já ouvi certa vez alguém dizer pra mim: "Tu só fotografa, o dia que tu pedalar um brevet vai saber como funciona!" 
Evidente que esta pessoa não me conhecia antes de começar a fazer as provas, pois de outra forma saberia que já fiz alguns brevets, de 200 e 300 km. Além do mais, acho que noção de segurança se pega pedalando na cidade, e isto fiz e faço muito ainda. Digo isto com a tranquilidade pq muitas pessoas me observam circulando por Porto Alegre. Agora, realmente, ouvir o que tem uma pessoa preocupada pode parecer bobagem... pq se o ciclista insiste em fazer errado, claro que não vai ouvir ninguém. A razão é de quem é irredutível! Só que assim... pessoal, é a segurança! Captou? É a segurança... vir me falar que estava andando a meio metro pra dentro da BR-101, ou seja, na pista da direita da faixa onde trafegam os maiores veículos, não me parece prudente. Onde tem acostamento, ali deve trafegar o ciclista. É prudente, né? Felizmente ninguém perdeu a vida, mas fico triste por ter que dizer isto. Eu não trabalho para ninguém... não sou funcionário, sou profissional freelancer, totalmente autônomo, jornalista de função específica (fotojornalista), reconhecido por este país como "executor" de tal ofício. Tenho obrigação de falar a verdade... muitos, mas muitos, tem realmente sido imprudentes. Não podemos contar com a sabedoria, prudência e caráter do motorista brasileiro, pois o preço a ser pago vai além de uma bicicleta. Então andar fora do acostamento pra não furar pneu para mim é um equívoco. "Ah, não tem como andar neste acostamento de speed!" É mesmo? Então compre uma touring ou uma mtb. Certo? Aqui é um blog, um espaço da crítica. Não quer saber o que tenho pra dizer, ok... pega o link das fotos e divirta-se com imagens. 

Trajeto do Giro do Vitor
Bem... a prova teve muitos momentos bons. Acho que em termos de desafio não poderia ter sido melhor. Prova dura, com calor, com chuva, com neblina, com altimetria complicada... e teve cenários incríveis. Quando estive acompanhando e me vi fotografando cenários diferentes, percebi que todo aquele trajeto poderia ser referência de prova de longa distância no Brasil, devido a diversidade de ambientes. Praticamente o filme do Forrest Gump... tirando a parte do deserto, que aqui não temos. O giro do Vitor foi uma escolha muito feliz... estou certo de que somente um ciclista experiente poderia ter sugerido este caminho. Não é mesmo, Vitor? Desde que comecei a cooperar com a Sociedade Audax de Ciclismo, vejo o Vitor pedalando. Seu ritmo próprio, acredito que até muito forte para uma proposta de longa distância, fez com que ele se tornasse uma referência para muitos de nós. A gente percebe aquela maturidade que só o tempo oferece... então é muito bom ter ciclistas deste elevado nível junto de iniciantes, pois é a forma de orientar os novatos.
Eu tenho um pensamento sobre educação que diz respeito ao exemplo... Eu percebi que até mesmo os animais conseguem aprender com os semelhantes e experientes. Certa vez, adotamos uma nova cachorrinha aqui em casa... e ela passou a conviver com uma cadela de 11 anos que já morava aqui em casa. Depois de algumas semanas, a jovem de 4 meses já fazia tudo que a experiente fazia. Dormiam no mesmo lugar, faziam necessidades apenas no lugar certo, comiam e esperavam a hora certa. Havia um respeito ali... entre uma velha São Bernardo e uma criança Rottweiler. Se os animais podem, pq os jovens humanos não poderiam? Então, minha sugestão é que sejam o exemplo que gostariam de ver nas demais pessoas. Sigam os bons exemplos... eles estão aí! O ano acabou de virar, aproveitemos este momento para colocar em prática tudo que não fizemos em 2016. 

Coleção de imagens do Giro do Vitor (fotos: Roberto Furtado) obs: em upload

Texto, puxão de orelha e fotos: Roberto Furtado