quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

A reconstrução de uma TREK 370 - 2ª parte












fotografias: Roberto Furtado

           Bom, por partes... e tentando ser breve. A TREK 370 foi remontada com peças de garimpo. Dentre as peças originais faltaram o freios, que também são da shimano, porém de outro grupo de época. O Pedevela também não é fiel ao usado na época, embora seja um shimano Exage. O pedevela original da TREK 370 é um Exage EX de coroas com 53 e 42 dentes, bcd 130. Aqui, apliquei um de bcd 110, tal como o que vinha em algumas raras bicicletas road desta época. Se vc procurar aqui sobre a TREK 470, vai encontrar referências de um pedevela shimano RSX de bcd 110, com três coroas, sendo elas 48, 36 e 26 dentes. Aqui, na falta do original, optei por seguir mais ou menos a mesma configuração. Então os trocadores, cubos, câmbios e maçanetas de freio são shimano exage idênticos ao da época. 
Os aros foram outra dificuldade... era lâminas de alumínio, cor de alumínio, simples. Consegui estas, de 36 furos, para casar com os cubos exage. Os aros são muito parecidos com os originais, porém mais largos. Desta forma, ficou semelhante e evidente que mais forte! O grande trunfo da TREK 370 em relação as demais road bikes da época é que ela possuia um espaço maior para passar o pneu. Isto permite que o ciclista opte por pneus de medidas maiores, tais como este 700 x 28C, mas é possível ir até 700 x 32 com muita segurança. Algum pneu 700 x 34 deve entrar também se o perfil for mais estreito. Eu tentei aplicar pneus 700 x 35C e não tive sucesso, pois quando devidamente cheios, raspavam no quadro. Alguns pneus tem um formato diferente e com isto encaixam nos frames, enquanto ocorre também um pneu de mesma medida não entrar em um mesmo quadro. Cada fabricante trabalha com uma linha de projeto, e mesmo que as medidas sejam as mesmas, não ocorrem a perfeita substituição. Contudo isto deve acontecer somente quando uma bicicleta receber pneus com medidas maiores que as originais, pois o fabricante já calcula a margem de espaçamento que garante esta alteração por peças de outras marcas. Faço uma observação para quem for tentar aumentar o tamanho dos pneus... não esqueça que bicicletas com pneus maiores do que foram projetadas, podem encostar o pneu no frame quando fizeres a curva deitada.
           Confesso que não me preocupei nem um pouco com a questão de limpeza e polimento do frame, apenas deixando original como recebi de um amigo que é mecânico da loja Dudu Bike. As road bikes da época podem ter valor e aplicação diferente de acordo com o usuário. Eu queria ver esta bicicleta o mais próximo possível de sua realidade. O lugar dela não é nas pistas, embora seja uma filha de Éolos. Ela esta em casa nas ruas, vias urbanas de uma cidade que respira mobilidade... ela venta no asfalto, corre nas ruas esburacadas com seus pneus maiores que as bikes de pista. Estou usando ela de forma modesta para saborear este momento, pelo qual esperei mais de 20 anos para lembrar. Agora, sinto um cheiro nas ruas... algo como se o tempo tivesse voltado. Evidente que são minhas lembranças...

obs: Os pedais são de mtb pq estes que tenho em minha sapatilha da shimano, mas de forma alguma considere tais pedais como algo original ou próximo. A TREK 370 vinha com pedais de pedaleira.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

A foto mais pedida... com o Pica Pau!

Foto e arte: Roberto Furtado
Esta foi a foto mais pedida do ano... Obrigado aos amigos e colegas da bicicleta por um dia de trabalho tão divertido! Meu abraço sincero! Quanto mais "ando", mais amigos encontro! 
Grande abraço

A reconstrução de uma TREK 370 - 1ª parte

TREK 370, 1996, grupo Shimano Exage. Fotos: Roberto Furtado

      Pensei muito nesta bicicleta... muito mesmo! Primeiro pq acho ela realmente um brilho especial entre as road bikes da década de 90, e depois pq ela pertenceu aos meus sonhos de ciclista na década em questão. A Trek 370 era a pé de boi da marca no Brasil... com suas 14 velocidades, trocadores de down tube, pedais com pedaleiras de aço e correia de nylon. Tudo muito simples... 1000% melhor que as caloi 12 super italy que a concorrente nacional oferecia. No entanto, a TREK era muito mais cara... mas possuía atributos. A Caloi vinha com cubo de rosca, a TREK 370 era possuidora de cubos exage... aqueles, ou melhores, estes cubos lendários que ilustrarão a próxima postagem da bicicleta. Os cubos exage eram uma lenda entre os cubos... a shimano deve ter produzidos eles para se destacar frente a todos os demais concorrentes e, conseguiu! 
É complicado falar de passado quando o assunto é uma grande marca, mas eu tenho quase certeza de que os cubos exage não possuem concorrentes superiores no presente, mesmo da própria marca. Contudo, não vou ficar novamente falando disto...
    Quando consegui por as mãos nesta, que pra mim é uma lendária bicicleta, não me contive de alegria. Visitava uma revenda TREK na cidade de Porto Alegre e namorava esta com todas as minhas intenções de casamento, mas evidentemente, naquele tempo eu não possuía a grana para comprar. E também já possuía um belo lote de peças shimano 105 da época, ao qual comprava aos poucos, em cada oportunidade que recebia o dinheirinho. Então, tentei encomendar a TREK somente quadro... mas o vendedor, sugeriu que optasse pelo TREK 470. E era igualmente belo, porém mais caro. Por um problema na logística ou sei lá o que... chegou em minhas mãos um quadro de TREK 2000, alumínio EASTON. Na época isto me empolgou, mas com o tempo me frustrou... eu queria mesmo era uma TREK 370 ou 470. Com o passar do tempo, passaram nas minhas mãos duas TREK 470, sendo uma delas a obra de arte que tivemos aqui
O intuito das aquisições do Bikes do Andarilho é procurar, reconstruir ou avaliar e passar ao próximo processo avaliativo. Então, nada é tão durável... elas retornam ao sistema da bicicleta, e aqui fica a vaga para a próxima. É a vida... neste caso, das rodas raiadas. Então, roda pra frente... e aguarda a segunda postagem! 

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Serra e Mar com a Ekonova... as imagens!






Bom, não vai ser preciso dizer que o passeio foi bonito, pq as imagens falam por si. O que posso abordar são questões que as imagens não conseguem dar exatidão. A Ekonova conseguiu fazer o que considero muito difícil... lidar com pessoas é uma loteria, mas a este grupo é muito especial. Vi que este grupo foi com tudo na proposta da felicidade e, tudo foi somente diversão. Não teve queda, não teve um senão qualquer! A maioria deles já se conhecia e a interação foi perfeita. Trabalho com isto há tempos e, confesso que é difícil ver um grupo tão homogêneo, pra não dizer perfeito!
A trip aconteceu no estado de Santa Catarina, fazendo "base" em Gravatal, na cidade das termas. De lá, percorremos, em dois grupos, estradas rurais, trilhas e sítios. Havia dois guias, um para caminhada, outro para pedalada. Um ônibus, dois grupos, boas trilhas, boas comidas, cenários lindos! Todo mundo se divertiu... muitas risadas e brincadeiras. E sinto muito se pareço exagerar, mas foi tudo exatamente assim... muito bom!
As imagens estão sendo disponibilizadas em formato maior, em três lotes... dia um, dia dois e dia três. E depois farei mais um álbum geral no formato web, para fins de permanente exposição. Os álbuns em alta ficarão disponíveis temporariamente, por no máximo 20 dias. É para os participantes pegarem suas recordações e aproveitarem... depois precisarei apagar pq não há espaço para tanto material de passeio em formato de impressão. Os links estarão habilitados na medida em que os álbuns forem finalizados. 





Todas as imagens aqui disponibilizadas são da Ekonova e Bikes do Andarilho, autor Roberto Furtado. Agradeço a Ekonova pela oportunidade especial, também a Revista Bicicleta, e aos participantes pela recepção de amizade. A matéria para esta pauta sairá na edição 49, mês de fevereiro, na Revista Bicicleta. 

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Gopro Hero 3 White edition... apresentação e considerações!

gopro.com
            No ano passado testei a câmera de ação HDR-AS15. Era o modelo da Sony, a resposta da marca para competir com a Gopro. A Gopro é... sem dúvidas a câmera mais comprada e utilizada pelos esportistas e aventureiros. Notável a qualidade para o fim... A Sony e a Gopro estão apresentando, ao meu ver, grandes adjetivos uma sobre a outra, fato que me impede escolher uma como melhor que a outra. Contudo, posso destacar as diferenças e qualidades delas... e afirmo que em qualquer dos casos, o proprietário estará bem atendido. A Sony tem qualidade de imagem, levemente melhor, cores mais vivas e menor custo. Por outro lado, a Gopro tem suportes mais abundantes no mercado... sejam originais ou do paralelo. E aliás, recomendo apenas os originais, pq todos que vi até agora eram de grande qualidade. Um suporte do paralelo não me agradou muito no acabamento e, tive receio que a qualidade não se justificasse a longo prazo. Suporte é algo que deve ficar preso e seguro... se cair o brinquedinho no chão, sabe lá o que pode acontecer. O preço da Gopro Hero 3 White Edition esta girando em 980 e 1200 reais. Contra os 800 reais, aproximados, da sucessora AS15, modelo HDR-AS20, da Sony. A versão anterior, AS15, da Sony, não possuía acesso as funções quando a cam estava dentro do case dágua. Necessitando abrir se vc quisesse passar de video para foto. Na Gopro este problema não existe, e na AS20 a Sony já resolveu o "problema". Posso garantir que ambas são muito boas e funcionais, sendo que se o problema não for o valor, a Gopro ganha em recursos de fixação e praticidade. A Sony não tem qualquer ajuste de angulação no suporte que acompanha a câmera na versão da embalagem original. A Gopro leva vantagem neste quesito! Quem puder, nem fica em versões simples como Gopro Hero 3, e vai logo para Hero 4, pois há recursos interessantes como gravação de video em modos com mais frames por segundo, mesmo em 1920 x 1080 px, ou mesmo a opção 4K. As imagens fotográficas melhoram muito em modelos superiores, sempre! Neste caso não seria diferente e, até mesmo o ruído diminui em condições de baixa luminosidade. O fato é que uma Hero 4 custa 2500 reais... se fores utilizar algum recurso para reduzir a qualidade, me parece mais interessante comprar duas Hero 3, mesmo que white edition. Seria uma boa forma de ter uma segunda opção de ângulo de gravação, simultânea para uma edição mais aprimorada. Não esqueça que em videos de esportes (ex: no youtube), não faz tanta diferença ter qualidade de imagem como no cinema. Se o video é bom... mesmo a baixa qualidade prende o espectador e garante a diversão. É sempre aquela questão de fazer com o que se têm, ou então procurar fazer do jeito que precisa... e aí entra o orçamento. Orçamento que deve melhorar, pois a Gopro vai ser fabricada no Brasil em 2015, tornando-se mais competitiva em relação as opções de outros fabricantes. Não posso esquecer de salientar que câmeras de ação funcionam bem em condições de muita luz... e em grande parte dos casos, os videos promocionais são realizados sobre água ou neve, meios que potencializam o efeito da luz ambiente. 
Farei testes com a Gopro Hero 3 White Edition e informarei ao amigo leitor... fique ligado! ;)

As especificações do modelo da Gopro vc encontra em: Gopro Brasil Hero 3 White Edition

Agradecimentos a Bike Village por disponibilizar a unidade do teste. 

O Bikes do Andarilho e a rede social

     A utilização da rede social transformou o sistema de divulgação do Bikes do Andarilho. Em outros tempos, nós tínhamos uma visitação elevada no neste endereço. De 2010 para cá, não aumentamos a visitação na progressão que antes ocorria, mas com a criação da page no Facebook, passamos a ter a visitação diária em uma única postagem. Aqui, na publicação ao lado, temos mais de 1000 pessoas alcançadas em mais ou menos 3 horas de publicação. Temos tido, na rede social, mais de duas ou quatro vezes por semana a visitação do mês inteiro no Bikes do Andarilho. Vejo isto como uma revolução em favor da bicicleta... nossa informação vai mais longe, mais rápido, para mais pessoas. Agora se isto, a longa prazo se manterá, não sei... mas que por hora é útil, sim, muito! 
Espero ainda, que a visitação aqui não apenas se mantenha, mas cresça, pois fazemos tudo para a bicicleta. Seja pela Revista, pelo blog, pelo FB, nas pistas e trilhas, passeios, etc. Das ruas as trilhas, nos vemos por aí! ;)