sábado, 28 de maio de 2016

As imagens do Pedal do Morango - Circuito de Pedais Ekonova Adventure 2016

Muitos ciclistas compareceram e partiram do morangão para as estradas... e com mau tempo!

O cenário mais estranho e bonito é este local onde a estrada fica estreita entre paredões. Muito bonito!

Uns pedalaram em casal... bonito de ver! Que inveja boa... fico feliz por vcs!

Alguns tomaram banho... outros lavaram a bike e o rosto! 

E teve barro pra quem quis... o MTB é o playground da gurizada grande!  Fotos: Roberto Furtado / Bikes and People.com
               Bom... trabalhar com a Ekonova é uma garantia de bom trabalho para mim. Eu vou, me divirto, como umas bergamotas no caminho, clico o maior número de amigos que for possível, e no fim consigo fazer boas recordações. Em poucas linhas consegui descrever meu trabalho com eles... sim, eu os adoro! Os ciclistas, os organizadores, os apoiadores, todo mundo esta em uma vibe bem sincronizada. Acredito que as imagens falam por si próprias... o evento, mesmo com tempo ruim, estava muito legal. No fim do do "expediente", fui ao almoço com os colegas de trabalho. Eu havia esquecido como era bom não voltar correndo pra casa! Vou escorregar aqui e pedir desculpas pela demora nesta postagem. Foi uma semana curta, cheia de trabalho e algumas vezes não dou conta de montar os álbuns e fazer a postagem. Então, demorou, mas sorria, pq fiz!

Como foi o evento?

               O evento foi tranquilo, sem problemas... o sol não apareceu, mas também a chuva só se manifestou depois que a maioria tinha chegado. O trajeto foi elogiado por  muitos, inclusive pelo Daniel Oliveira (Garça), ciclista que corre os campeonatos que utilizou o passeio como treino. "A trilha estava excelente!" Comentou o ciclista para a organização. Os três trajetos passavam por um local muito especial... em meio a uma propriedade que continha muitos pés de cítricas. Quando os ciclistas chegavam ao lado das bergamoteiras, bom, não é preciso dizer que eles ficavam por ali para degustar. Se era doce? Sim, as bergamotas estavam bem doces. 
Do caminho em meio as cítricas os ciclistas entravam por outro de Eucaliptus... estreito! A diversidade dos cenários é um segredo contado para o sucesso do projeto. Havia um trecho de que gosto muito, onde as fotografias ficam diferenciadas de outros passeios pelo curioso cenário. A estrada de chão corta um morro e, de cada lado fica um paredão reto. Uma estrada estreita e escura entre paredões... é um lugar bem diferente e, bonito!

A próxima aventura...

No dia 19 de Junho temos encontro marcado com a Ekonova... vai ser o pedal na cidade de Presidente Lucena, com festa junina. Correm vários comentários sobre este evento ser um dos mais esperados... e com pinhão, quentão, pipoca e arrasta pé! Sério? Sim... diz que vai ser isto mesmo! A galera da bike se encontra lá... 

A coleção de imagens esta disponível em dois álbuns devido a quantidade:



quarta-feira, 18 de maio de 2016

O fim da fina? Nova orientação sobre o Art.201 do CTB pode educar o motorista?

Fotografia: Roberto Furtado
          Em abril de 2013 fizemos o flagrante de que o CTB não é cumprido ou respeitado em diversas oportunidades. Na oportunidade não havia um agente de trânsito para autuar o motorista, mas isto já foi testemunhado muitas vezes por agentes de trânsito e em muitos casos jamais foi feito algo. Na imagem e oportunidade em questão, ao lado, capturamos o momento exato da passagem do ônibus por um ciclista que trafegava pela avenida da Cavalhada, nas proximidades do supermercado Zaffari. Naquele momento, eu registrava apenas o fato curioso de um ciclista estar transitando pelas vias com um triciclo, fato não muito comum nas ruas de Porto Alegre. A ideia era apenas ilustrar a alegria que vive alguém sobre uma bicicleta. No entanto, lembro que quase deixei cair a câmera quando vi a fina que o ônibus deu no condutor do triciclo. A história contei na postagem em 2013. Então vou colar o link aqui para quem quiser buscar a história no tempo:


Recentemente, parece que algo esta por mudar na lei... ou melhor, não é a lei que vai mudar, mas sim a interpretação, porque até hoje se ouvia agente de trânsito dizendo que não podia multar motorista que tira fina de ciclista por não haver como medir esta distância. No entanto... agora haverá uma forma diferente de ver a situação de risco. De acordo com o presidente do CENTRAN, Ivan Poggere, a ideia é conscientizar os motoristas e aumentar a segurança dos ciclistas pelas ruas. "A gente quer mobilizar a sociedade para que se comece a observar mais e se cuide mais do ciclista. Às vezes, o agente de trânsito ficava inseguro na autuação porque, tecnicamente, ele precisaria de uma trena. Aí as autuações ocorriam como direção perigosa, o que não é o correto", explicou Poggere. Se referindo a nova orientação que deve entrar em vigor na próxima semana, quando será assinada a proposta.  Se as intenções forem realmente verdadeiras, de quem determina e de quem fiscaliza as vias, estamos certos de que muitos motoristas serão infratores com 4 pontos na carteira e menos 85 reais a cada oportunidade, prejuízos de uma infração média, de acordo com o artigo 201 do CTB. Esta orientação valerá para todo Rio Grande do Sul.
O advogado e ciclista, Pablo Weiss, atuante das reuniões junto dos orgãos competentes, há tempos luta junto com outros colegas ciclistas e entidades por este tipo de atenção. O desejo é apenas o cumprimento das leis de trânsito, uma vez que as leis existem e são protetivas, mas não cumpridas. Em rede social, Weiss, publicou: 

"Dentro do nosso grupo de trabalho no DETRAN-RS, apresentamos o questionamento sobre a não aplicação da infração pelo desrespeito do 1,5m. Os colegas do DETRAN-RS fizeram o levantamento e confirmaram o baixíssimo número de infrações aplicadas no RS, principalmente na cidade de Porto Alegre. Convocamos então uma reunião com a Brigada Militar e EPTC para questionarmos tal situação. O Sr. Secretário Vanderlei Cappellari se esquivou e disse que tal infração não era aplicada em virtude da não possibilidade de uma medição precisa da distância que o veículo passa do ciclista e que, por consequência, a aplicação de tal infração gerava muitos recursos, preferindo a aplicar a infração por direção perigosa. 
Mais uma vez, o DETRAN-RS apurou e o número de recursos não passava de dez. Diante disso, a partir de uma iniciativa do Dr. Ildo, atual Diretor Geral do DETRAN-RS, foi feita uma provocação ao Conselho Estadual de Trânsito, para que obtivéssemos um parecer sobre o assunto. 
Depois do cumprimento dos trâmites regimentais, ontem 17/05, tivemos a votação do parecer, que foi favorável pela possibilidade de aplicação da infração de 1,5m, bastando que o agente de trânsito constatasse a proximidade do veículo em relação ao ciclista no momento da ultrapassagem. 
Isto “NADA MAIS É” do que a confirmação do que já está escrito no Código de Trânsito Brasileiro. Somente derrubamos a alegação apresentada pela EPTC para não aplicação da infração, mas ainda é muito cedo para comemorarmos qualquer coisa.
Prefiro comemorar somente quando tivermos mais agentes nas ruas, atentos para a circulação de bicicletas e principalmente quando a EPTC realmente começar a multar os motoristas que tiram fina e colocam nossas vidas em risco!", finalizou Pablo Weiss.

Depoimento autorizado, cópia retirada do Facebook de Pablo Weiss.

Por Roberto Furtado, Andarilho.

Sociedade Audax de Ciclismo e os preparativos para percorrer 600 km...

Foto: Roberto Furtado / Revista Bicicleta
            Há em todos nós um sentimento bom sobre estradas... estradas se comparam a nossas vidas, talvez por isto gostemos tanto de estradas. Ao que parece, muitos de nós preferem enfrentar as estradas como simbolismo do enfrentamento da vida. Talvez não seja nada disto, talvez seja apenas diversão da superação. Não sei... pode ser muita coisa! É certo que o significado é diferente para cada um de nós. 
Estive com a organizadora, Sirlei Ninki, na estrada verificando alguns pontos por onde nossos amigos pedalarão por 600 km. Esta é uma das provas mais difíceis da série... este ano não teremos 1000. Então esta é a maior prova da Sociedade Audax de Ciclismo em 2016. Espero que nos dias que ocorrerão a prova, não esteja tão frio como amanheceu hoje. Ou estou sentindo o resfriado, ou realmente estava frio quando saí de casa para trabalhar hoje cedo. Seja como for, que o tempo e o vento sejam suaves... o gigante deve cair! Estarei com a gurizada na estrada... vou de carro para fotografar, como de costume. Dormirei por aí... em algum lugar da estrada, junto com os ciclistas. Assim, espero fazer um material de um momento que não se espera... todo mundo faz foto da estrada, mas de transição de estrada e cochilo, parece que esquecem. Eis a oportunidade... até lá! ;)

terça-feira, 17 de maio de 2016

Ekonova pelos caminhos de Bom Princípio. Neste Domingo, o pedal do morango!

Foto: Roberto Furtado
          O terceiro Pedal do Morango, uma realização da Ekonova Adventure, acontece neste próximo domingo dia 22 de maio de 2016. O evento faz parte do circuito de pedais da Ekonova e como de costume oferece três opções de trajeto e distância. 

Trajetos

Curto 20Km – Trajeto em desenvolvimento (Trajeto não terá trilhas e pouca elevação já que o relevo permite).

Intermediário 30Km – Trajeto em desenvolvimento (Trajeto com trilhas).

Longo 45 Km – Trajeto em desenvolvimento (Trajeto com trilhas e dificuldades maiores para quem tem preparo e curte um verdadeiro desafio).

A infraestrutura local permite banho após o entretenimento, permitindo que os ciclistas façam a trilha pra embarrar mesmo! O retorno sem barro fica garantido desta forma... não tenha medo da sujeira! ;)

Estrutura do evento

- Seguro da Porto Seguro;
- 4 pontos de Hidratação;
- 2 pontos de Frutas;
- Barra de Cereal da Harts (www.hartsnatural.com.br)
- Batedores de Moto;
- Carros de apoio;
- Percurso devidamente demarcado;
- Estacionamento amplo;
- Local para Banho
- Camiseta de algodão personalizada Bike is Life (primeiros 250 inscritos e pagos antecipadamente);
- Placa bike personalizada;
- Fotos do evento do Bikes do Andarilho (Roberto Furtado);
- Vídeos aéreos de Falco Imagens Aéreas;
- Almoço no CTG (galeto, massa, maionese, arroz, molho, saladas diversas) a R$ 20,00 que deverá ser reservado antes da saída do Pedal.

R$ 35,00 (CAMISETA DO EVENTO – (Para os primeiros 250 inscritos) Não há escolha prévia de tamanhos, será por ordem de retirada das inscrições no dia do evento (Tamanho de acordo com a disponibilidade), retirada das Inscrições das 7:30 – 8:45 no Local do evento.)

R$ 40,00 (após o encerramento das inscrições)

Importante... sem capacete não é permitida a participação do ciclista!

Inscrições no link abaixo:

http://ekonovaadv.com.br/project/3opedal-do-morango/

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Alguns motivos para acreditar em rodas 26"

Interbike 2015.
            O universo competitivo das bicicletas, também recreativo de finalidade esportiva não profissional, definiu as rodas 29" como exclusivas para uma importante fatia do mercado. Não veremos mais, acredito, bicicletas de alto nível esportivo desenvolvidas com rodas 26". Alguns casos, veremos com 27,5" (650B), mas sabemos que a grande preferência se voltou para 29"... e de alguma forma a 26" estaria agora restrita aos projetos populares e bem específicos. Escrevi algumas matérias na Revista Bicicleta que justamente abordavam estas reflexões sobre os tamanhos de rodas... em novembro de 2012 abordei aqui, algumas questões sobre as novas medidas de rodas que apareciam no mercado. Em janeiro de 2013, publicamos na revista bicicleta o primeiro esclarecimento e comparativos de medidas de rodas sobre este assunto que começava a se enrolar devido a falta de clareza da indústria com relação as referências das medidas. Ao longo dos anos, foram criadas diversas medidas que aos poucos receberam especificações diferentes mesmo para medidas iguais. Tudo isto confundiu muito o público e desde então nós tentamos demonstrar que tudo era uma questão de referências, de onde deveriam ser medidas as rodas, e assim obter os números que os fabricantes indicavam. Em 2015 abordamos mais uma vez na revista bicicleta, edição 50, abril de 2015, uma reflexão sobre o espaço das rodas 26". Exatamente um ano depois, na edição de abril de 2016, edição 61, abordamos as dificuldades da roda 26" em se manter no mercado, mas com espaço garantido. Ninguém mais tem dúvidas que a roda 26" esta dando lugar a roda 29". A popularização é um cabo de guerra entre as opções! Ainda que seja notável este avanço em direção as rodas grandes, temos motivos para pensar que elas devem realmente ficar em alguns mercados específicos. Apontamos alguns para que fique claro que isto não deve acontecer em todos os segmentos e finalidades de rodas 26". 

Recreativas populares
                
               As bicicletas mais populares, de menor valor agregado, utilizam rodas de medida 26" e devem ficar desta forma. Há maquinário e bicicletas fabricadas para uma demanda que vê vantagens na medida de roda. Se sabe que quase todas as bicicletas fabricadas até 2012 possuíam medida 26" e com a necessidade de reposição de raios, aros, pneus e câmaras específicas, torna-se interessante manter a produção de algo que ainda tem forte procura. Com isto, os valores de componentes nestas medidas viabilizam a fabricação de novas e populares bicicletas. É uma relação entre manutenção e fabricação de novos que não permite o desligamento em curto prazo. A Kenda, uma das maiores fabricantes de pneus no mundo, assim como a CST Tires, jamais deixaria de apostar neste mercado. É o mesmo que abandonar um mercado lucrativo e, deixá-lo para a concorrência. Então, estas bicicletas de menor valor agregado, que buscam simplicidade, não deixarão de existir a curto e médio prazo. 

Ciclistas de menor estatura...

                É difícil imaginar um ciclista cuja altura que gira em torno 1,50 - 1,60m prefira a opção de rodas 29" para o cotidiano. Estas bicicletas com 29" ficaram meio "desajeitadas" para pessoas com estatura menor que 1,60 m, portanto, este seria mais um exemplo claro de que a medida é necessária. Tanto é fato que se encontram bicicletas de 24" no mercado, justamente para tentar aproximar o centro da bike do chão, diminuindo a distância para jovens e para pessoas de estatura menor. Isto poderia mudar, mas seria também um erro... e erros já acontecem em demasia nos opostos. Uma média das pessoas possuem estatura que permite encontrar facilmente opções no mercado, mas pessoas muito altas e muito baixas sempre encontram dificuldade para encontrar o modelo e tamanho de bicicleta desejado. 

Conceitos incompatíveis com rodas 29"

           Não vamos ver com facilidade a aplicação de rodas tão grande em alguns modelos... o segmento de Cargo bicicletas não corresponde ao tamanho maior das rodas. Há modelos de bicicletas cuja solução do fabricante foi utilizar dois tamanho de rodas, sendo 26" na frente e 20" na traseira. Este seria um exemplo sobre o uso das rodas 29" que se tornam inviáveis. As vezes, até mesmo, as rodas 26" se tornam complicadas para alguns projetos, então não é preciso dizer que rodas maiores estariam fora de questão. As cargueiras não podem receber rodas maiores por uma questão de espaço sobre o bagageiro. Se aumentar o diâmetro de roda, se aumentar duas relações de medida de roda de uma cargueira... as opções, não seriam vistas com bom olhos pelo consumidor. Bicicletas de roda maior tendem a ter menor resistência lateral... e bem, isto em uma cargueira não é um adjetivo favorável. A outra questão é que o bagageiro seria construído de forma que ficasse mais alto para acomodar a roda (note a foto desta postagem), e tal solução traria o problema do centro de gravidade alterado, um equilíbrio prejudicado. 
Este aumento do diâmetro de rodas também poderia ser um problema em fatbikes... já é difícil arrumar espaços para rodas grandes de 26", imagine em 29". Outro mercado que não aceitaria bem as grandes rodas seria das dobráveis. A roda 26" mal foi aceita neste mercado, portanto presumo que 29" deva ser algo meio impraticável para dobráveis... até pq esta praticidade de dobrar tem relação direta com redução de tamanho. 

Há, sem dúvidas, vantagens e desvantagens sobre as versões e modelos. Cabe ao entusiasta e ciclista escolher pensando em uma balança de quais pontos mais lhe agradam. Muito deve aparecer em novidade, esta é uma corrida incansável do sistema... e vamos dizer que a bicicleta ainda nem conseguiu se popularizar como deveria. 

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Pedalada solidária... agasalho nas ruas!



Geral da galera que participou da ação... roupas entregues!

              Fui fazer umas fotos da pedalada solidária... quem me convidou foi o ciclista e amigo Pablo Weiss. Tinha muitas pessoas participando da iniciativa... uma ação sem bandeira, sem intenções próprias. Uma ação para ajudar quem vive nas ruas, passando frio. E vou dizer que vi algo tão fácil de minimizar... é tão fácil diminuir a dor, a fome e o frio de algumas pessoas. Seria bom se mais pessoas participassem de ações como esta. Eu prometi pra mim mesmo que irei na próxima... sem máquina fotográfica. Não vou como repórter... vou como ciclista. Pra levar alguma coisa que ajude quem esta na rua não custa nada. Não vai mudar a minha vida fazer isto uma vez... ou duas noites do ano. E se outras pessoas fizerem o mesmo, vou dizer que nem seria preciso fazer duas vezes por ano. Temos uma cidade grande aqui... potencial para ajudar tempos. A única coisa que me deixa mais chateado é não saber como se faz pra mudar a vida destas pessoas... como elas foram parar lá! E é uma coisa que a gente começa pensando... e acaba com raiva da política pq os caras só pensam neles mesmos. Quem tem poder pra fazer alguma coisa, esta mais preocupado com votos na eleição seguinte... e não nos problemas reais da sociedade. Bom... mas aqui não é espaço pra discurso político. Nós vamos é valorizar a ação dos bikers... a gurizada saiu de casa ainda quando estava garoando pra entregar os donativos. 

obs: As imagens da coleção estão em branco e preto justamente pq o tema pede este tipo de opção.